Brasil corta técnico de natação australiano da Olimpíada a pedido da Austrália

quarta-feira, 18 de maio de 2016 11:57 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O Comitê Olímpico do Brasil (COB) vai excluir o técnico australiano de natação Scott Volkers da equipe brasileiro para os Jogos Rio 2016 a pedido da Austrália, onde ele enfrentou acusações de abuso de menores há uma década, informou o COB nesta quarta-feira.

"Volkers não será credenciado", disse um assessor de imprensa do comitê por telefone.

O Comitê Olímpico Australiano pediu na semana passada ao presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, para excluir Volkers, que atualmente treina alguns nadadores brasileiros, por acusações de que ele abusou sexualmente de jovens nadadores australianos nas décadas de 1980 e 1990.

Volkers, de 57 anos, foi preso na Austrália em 2002 por acusações de comportamentos indecentes com um menor. As acusações foram retiradas por falta de evidências, mas ele foi banido de trabalhar com jovens abaixo de 16 anos. Ele nega qualquer acusação.

O técnico se mudou para o Brasil em 2011 e se tornou o técnico de natação no Minas Tennis Club, em Belo Horizonte, local que já contou com alguns dos melhores nadadores brasileiros, entre eles o único medalhista olímpico de ouro do Brasil na modalidade, Cesar Cielo.

Um porta-voz do Minas Tennis Club disse que Volkers foi aconselhado por seus advogados a não comentar sobre sua exclusão da equipe de natação brasileira.

(Reportagem de Anthony Boadle)