Comitê de Ética da Fifa quer afastamento de 2 anos de ex-chefe do futebol alemão

sexta-feira, 20 de maio de 2016 09:52 BRT
 

ZURIQUE (Reuters) - O ex-presidente da Associação de Futebol Alemã (DFB, na sigla em alemão) Wolfgang Niersbach pode ser afastado do esporte por dois anos ao final de uma investigação da Fifa sobre supostas irregularidades na concessão da sede da Copa do Mundo de 2006 à Alemanha.

Niersbach, que ainda faz parte do Conselho da Fifa, assim como do Comitê Executivo da Uefa, renunciou o comando da DFB em novembro por não ter sido capaz de explicar um pagamento de 6,7 milhões de euros dos organizadores do Mundial alemão para a Fifa.

Nesta sexta-feira, um relatório da câmara investigadora do Comitê de Ética da Fifa, órgão independente, revelou que Niersbach violou seu código de ética e recomendou que ele seja banido por dois anos de todas as atividades relacionadas ao futebol e receba uma multa equivalente a 30.300 dólares.

Niersbach, que negou repetidamente qualquer ato irregular, disse discordar da severidade das punições.

"As recomendações de sanções da câmara investigadora são inexplicáveis", disse em comunicado.

Ele disse que está sendo investigado agora por não ter informado o Comitê de Ética da Fifa no ano passado a respeito de acontecimentos referentes ao caso de 2006.

A câmara adjudicatória do comitê disse ter iniciado procedimentos formais contra Niersbach, que era vice-presidente do comitê organizador da Copa de 2006, depois de uma recomendação da câmara investigadora.

 
Ex-presidente da DFB Wolfgang Niersbach durante evento em Frankfurt.   09/11/2015      REUTERS/Ralph Orlowski/File Photo