Presidente de agência antidoping identifica a mesma substância em testes de atletas russos

domingo, 22 de maio de 2016 15:57 BRT
 

LONDRES (Reuters) - O presidente da Agência Mundial Antidoping (WADA, na sigla em inglês), Craig Reedie, revelou que a maioria dos desportistas russos que reprovaram em testes antidoping nos últimos seis meses o fizeram porque foi detectado meldonium em seus organismos.

Reedie disse que a substância, a mesma que a tenista russa Maria Sharapova admitiu ter ingerido por motivos de saúde depois de não passar em exame antidoping no início do ano, foi responsável por 47 dos 49 resultados adversos no antidoping russo entre novembro de 2015 e maio de 2016.

O meldonium, uma droga de origem da Letônia que ajuda a dosar o uso da energia e aumentar a resistência do atleta, foi adicionado à lista de substâncias proibidas da WADA no início deste ano.

Desde então, russos de vários esportes, incluindo o rúgbi seven, o biatlo, a patinação de velocidade, o voleibol e o atletismo, testaram positivo para a substância.

"Esta substância não é permitida para a Europa, e não é permitida para os Estados Unidos. Ela não se encaixa em nossos organismos. É claramente um problema", disse Reedie em uma grande entrevista concedida ao site "insidethegames".

A WADA disse no mês passado que, por não saber exatamente por quanto tempo o meldonium fica no corpo, os atletas que testaram positivo até o dia 1º de março deste ano poderiam ter suas punições revistas e canceladas.

Reedie disse que a força-tarefa de investigação da WADA estaria tentando encontrar o ex-diretor de laboratório dos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, Grigory Rodchenkov, que alegou em entrevista recente que as autoridades russas estavam envolvidos em um esquema de encobrimento no qual as amostras eram trocadas para evitar que dezenas de atletas russos fossem pegos no doping durante aquela competição, em 2014.

"Estamos tentando encontrar o senhor Rodchenkov porque precisamos de toda a informação que ele tem", disse o presidente da WADA. "Parte da investigação implicará em um exame minucioso dos recipientes que foram utilizados."

(Por Neil Robinson)