Djokovic defende que Olimpíada conceda pontos no ranking do tênis como "quinto Grand Slam"

terça-feira, 24 de maio de 2016 15:42 BRT
 

Por Martyn Herman

PARIS (Reuters) - O torneio de tênis da Olimpíada deveria ser tratado como um quinto Grand Slam e render pontos para o ranking mundial, afirmou o tenista número um do mundo, Novak Djokovic, nesta terça-feira, depois que o colega John Isner, dos Estados Unidos, confirmou que não irá jogar a Olimpíada do Rio de Janeiro em agosto.

Sem um acordo em vigor entre a Federação Internacional de Tênis (ITFs) e as duas principais associações da modalidade, ATP e WTA, não vai haver contagem de pontos para os tenistas que disputarem medalhas nos Jogos no Brasil.

Isner, número 17 do ranking, disse que esse foi um fator essencial em sua decisão de não representar os EUA. Djokovic irá competir no Rio, mas concordou com a decisão do norte-americano.

"Esse foi um dos debates, acho, se deveríamos ter pontos ou não nos Jogos Olímpicos", disse Djokovic a repórteres depois de vencer a primeira rodada do torneio de Roland Garros derrotando o taiwanês Lu Yen-hsun, nesta terça-feira.

"Para ser bem franco, não veja razão para não termos. Sabe, temos os melhores jogadores do mundo participando do que muitos veem como o quinto Grand Slam. É importante a esse ponto para nós, porque acontece a cada quatro anos".

"Eu certamente incentivarias as pessoas a repensarem a contagem de pontos lá", acrescentou.

Isner não é o único tenista a se ausentar da Olimpíada, na qual o britânico Andy Murray e a norte-americana Serena Williams irão defender seus títulos. O austríaco Dominic Thiem, o australiano Bernard Tomic e o espanhol Feliciano López também anunciaram que não atuarão no evento. 

 
Novak Djokovic em partida de Roland Garros. 24/05/2016 REUTERS/Benoit Tessier