Situação econômica afeta venda de produtos da Rio 2016, diz comitê

quarta-feira, 25 de maio de 2016 18:39 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - As vendas de produtos licenciados para os Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro estão sendo afetadas pela crise política e econômica do país, segundo a diretora de licenciamento e varejo do comitê organizador, Sylmara Multini, que espera um maior entusiasmo dos brasileiros com os Jogos daqui para frente.

No planejamento feito no começo da preparação da cidade para o evento, a meta era chegar nesse momento, faltando cerca de 70 dias para o início dos Jogos, com 10 por cento das vendas dos produtos licenciados realizadas. No entanto, diante do ambiente conturbado do país, com recessão e crise política, o engajamento da população com a Olimpíada ainda não aconteceu como esperado e as vendas de produtos licenciados atingiram apenas 7 por cento do total.

“O momento econômico do Brasil é delicado e retardou um pouquinho o entusiasmo das pessoas na compra dos nossos produtos, mas com a aproximação dos Jogos e o evento da tocha, não temos dúvida que vai crescer bastante", disse à Reuters a diretora do comitê organizador.

“Esperávamos estar agora com um venda de cerca de 10 por cento e estamos com 7 por cento, mas estamos preparando o time para entrar em campo e fazer bonito durante os Jogos, período em que vão se concentrar as vendas de produtos”, frisou.

A expectativa do comitê é que 80 por cento das vendas dos produtos aconteçam nos dias dos Jogos, entre 5 e 21 de agosto.

As vendas no varejo de produtos licenciados dos Jogos devem somar, de acordo com cálculos do comitê, 1 bilhão de reais, sendo que o órgão deve receber royalties entre 10 e 20 por cento do volume total.

“Esse ambiente teve impacto sim. O varejo do país retraiu e decidiu investir mais perto dos Jogos. Tivemos que mudar nossa estratégia e focamos nos nossos licenciados para mostrar que ia acontecer", declarou a diretora.

Os produtos da Rio 2016 serão vendidos em mais de 100 lojas em todo o Brasil e em estabelecimentos parceiros.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)