ENTREVISTA-Rio se preocupa com 'lobos solitários' durante Olimpíada, diz Beltrame

sexta-feira, 27 de maio de 2016 16:20 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Paulo Prada

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A chance de o Rio de Janeiro ser palco de um ataque terrorista durante os Jogos Olímpicos é “quase zero”, e a preocupação maior é com os chamados "lobos solitários", afirmou à Reuters o secretário de Segurança Pública do Estado, José Mariano Beltrame.

Segundo ele, apesar de o Rio não estar na geografia do terrorismo mundial, é preciso atenção com as pessoas que agem sozinhas em nome de uma causa própria.

“(A preocupação) é muito maior para esse lado do lobo solitário do que para os grupos. Porque uma pessoa pode fazer uma situação muito ruim”, disse Beltrame em entrevista na quarta-feira.

“Estamos buscando qualquer tipo de indício que possa nos levar a uma determinada pessoa”, acrescentou o secretário, que não quis revelar se a inteligência já monitorou alguma ameaça.

Beltrame tem recebido quinzenalmente relatórios da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e de serviços desta área mostrando que o Rio e o Brasil estão fora do mapa global dos principais grupos radicais, como Estado Islâmico e Al Qaeda.

"A possibilidade (de um ato terrorista) é quase mínima de acontecer", disse o secretário, que é egresso da Polícia Militar e tem experiência na área de inteligência.

As autoridades de segurança, porém, têm rastreado redes sociais, áreas de fronteira e serviços de imigração para evitar que a cidade possa ser alvo de algum ato. “Desde o Pan de 2007 a preocupação número um aqui no Rio sempre foi o terrorismo. Não temos história nisso, mas sempre foi a prioridade, independentemente do que aconteceu na França e na Bélgica”, disse.

Em novembro, ataques de militantes islâmicos deixaram 130 mortos em Paris, e a cidade de Bruxelas foi alvo de ataques que mataram 32 pessoas em março, aumentando as preocupações de segurança para grandes eventos.   Continuação...