Zidane assegura posto de ídolo do Real, mas ainda não tem longo futuro confirmado no clube

domingo, 29 de maio de 2016 14:42 BRT
 

Por Richard Martin

MILÃO (Reuters) - Ao levar o Real Madrid a seu 11º título da Liga dos Campeões menos de cinco meses após assumir a equipe no lugar de Rafael Benítez, Zinedine Zidane cimentou seu status de herói no Santiago Bernabéu, e parece ter assegurado seu futuro imediato.

Embora nem Zidane nem o notoriamente satisfeito presidente do Real, Florentino Pérez, tenham confirmado se o técnico francês permanecerá no comando, pode não haver ganho de capital político com a saída do técnico agora.

O francês tem um status especial no clube desde que seu maravilhoso gol de voleio contra o Bayer Leverkusen garantiu o título da Liga dos Campeões de 2002, embora ele saiba que a vitória de sábado sobre o Atlético de Madrid não garante a ele um longo futuro no clube.

Com lembrança, basta ele apenas olhar para o destino dos últimos dois técnicos que levaram o Real à glória, Vicente del Bosque e Carlo Ancelotti, ambos demitidos 12 meses depois.

O único técnico do Real a criar algum tipo de dinastia foi Miguel Muñoz, assim como Zidane um vencedor da Liga como meia do Real. Muñoz passou 14 anos no comando do time, vencendo o maior prêmio europeu em 1960 e 1966 e nove títulos do campeonato espanhol. 

Tendo conquistado o campeonato europeu como jogador, técnico e assistente, a próxima tarefa de Zidane é tirar o Campeonato Espanhol das mãos do Barcelona, que terminou com apenas um único ponto à sua frente. 

Como um bom sinal, Zidane conseguiu mais pontos do que o Barça e o Atlético desde que entrou no lugar de Benítez em 4 de janeiro, incluindo vitórias nos últimos 12 jogos.