Organizadores de Roland Garros são criticados, e partidas não disputadas por causa da chuva se acumulam

terça-feira, 31 de maio de 2016 20:48 BRT
 

Por Pritha Sarkar

PARIS (Reuters) - Os torcedores passaram mais tempo olhando para o céu escuro de Paris do que assistindo a partidas de tênis nesta terça-feira, quando os organizadores do Aberto da França foram acusados de “não ligarem para os jogadores”, depois de o evento, como no dia anterior, ter sido interrompido pela chuva.

O sétimo cabeça-de-chave, o checo Thomas Berdych, resumiu a frustração de todos num dia em que nove horas de ação foram perdidas ao dizer no Twitter: “Oi, @AustralianOpen, pode nos mandar um teto aqui em Paris?! Você tem 3 aí”.

A impossibilidade de se jogar sob uma cobertura, já que Roland Garros é a única das quatro sedes de torneio Grand Slam que não tem uma quadra com teto retrátil, se mostrou certamente custosa para Agnieszka Radwanska e Simona Halep, derrotadas na quarta rodada, nas únicas duas partidas completadas no décimo dia de torneio.

Com a tabela de jogos se acumulando, as mulheres na chave da cabeça-de-chave número um, Serena Williams, teriam agora que jogar em quatro dias consecutivos para ganhar o torneio, se a final ocorrer no sábado, como programado. Além disso, mais chuva é prevista. 

O tenista número um do mundo, Novak Djokovic, e os jogadores da sua chave, incluindo Berdych, também podem esquecer os tradicionais dias de descanso entre cada rodada, uma vez que eles teriam que jogar em quatro dos próximos cinco dias para chegar à final no domingo.

Radwanska, a número dois do mundo, e a vice-campeã de 2014, Halep, que começaram os seus jogos de oitavas no domingo, foram forçadas a jogar sob uma chuva fina nesta terça-feira, já que os organizadores fizeram uma tentativa desesperada para escoar o grande número de jogos acumulados.

“Ninguém liga para os jogadores na minha opinião”, disse a sexta cabeça-de-chave, Halep, após ser derrotada pela australiana Sam Stosur (7-6 6-3).

“Era impossível jogar. Jogar tênis durante a chuva é um pouco demais. Eu estive próxima de me contundir nas costas, mas ninguém liga.”