Governo da França pede fim de greves a uma semana da Euro 2016

sexta-feira, 3 de junho de 2016 13:04 BRT
 

Por Brian Love

PARIS (Reuters) - O governo da França, que luta para pôr fim a uma onda de protestos que podem prejudicar o Campeonato Europeu deste ano, pediu nesta sexta-feira o fim da greve nacional do setor ferroviário e disse aos pilotos da estatal aérea Air France que seus planos de cruzar os braços são "irresponsáveis".

Os clamores vieram no terceiro dia da paralisação sem fim previsto nas ferrovias do país, o que reduziu a circulação pela metade, uma semana antes do início da Euro 2016 em 10 de junho, quando cerca de 2,5 milhões de torcedores são esperados nas 51 partidas entre 24 times, incluindo 1,5 milhão de visitantes estrangeiros.

O ministro francês dos Transportes, Alain Vidalies, disse que o governo satisfez as exigências do sindicato, que queria salvaguardar o período de descanso dos ferroviários e uma ajuda com a dívida de 50 bilhões de euros da SNCF, a estatal do setor, dizendo que o combativo sindicato CGT deveria cancelar sua ação.

"É hora de reconhecer o progresso obtido e voltar ao trabalho", disse o ministro à rádio RTL.

O governo socialista interveio em conversas internas sobre uma reorganização da SNCF para tentar desarmar as tensões e fez concessões para impedir uma greve dos controladores de tráfego aéreo, mas agora se depara com um paralisação dos pilotos da Air France  entre os dias 11 e 14 de junho.

"Isso é irresponsável", afirmou Vidalies, acrescentando que ninguém entenderia por que uma interrupção nos serviços em função de limites salariais já planejados foi marcada para ter início no segundo dia do torneio europeu de futebol.

 
Manifestante rebatendo lata de gás com raquete de tênis durante protesto contra reforma das leis trabalhistas na França.    02/06/2016     REUTERS/Stephane Mahe