13 de Junho de 2016 / às 20:32 / em um ano

Velódromo estará em obras até menos de um mês antes de início de Olimpíada, diz Paes

Obra do velódromo que será usado nos Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro. 25/05/2016Ricardo Moraes

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Operários vão trabalhar no acabamento do Velódromo Olímpico até meados do mês de julho, menos de um mês antes do início dos Jogos Rio 2016, disse o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), que no entanto garantiu os testes na pista de ciclismo programados para o fim deste mês.

O velódromo e a linha 4 do metrô do Rio de Janeiro, que vai ligar a zona sul à Barra da Tijuca, coração da Olimpíada, são a dor de cabeça da cidade na reta final da preparação para os Jogos, que começam em 5 de agosto.

A obra do velódromo, no Parque Olímpico da Barra da Tijuca, vem sendo comandada pela prefeitura, enquanto que a linha 4 do metrô é de responsabilidade do governo do Estado.

Na arena de ciclismo houve atraso desde que a empresa vencedora da concorrência apresentou problemas financeiros. A prefeitura forçou a companhia subcontratar uma outra construtora, que recentemente assumiu definitivamente o comando da obra.

Um evento-teste na arena de ciclismo chegou a ser marcado para duas datas, mas diante do atraso, teve de ser cancelado. Segundo Paes, a arena será aberta no dia 25 para um teste de pista para atletas.

Nessa data, de acordo com o prefeito, os atletas e a imprensa poderão conferir que o 'campo de jogo' está pronto. No entanto, os detalhes e o acabamento da obra devem entrar pelo mês de julho e só ficarão prontos mais perto dos Jogos.

“Nós vamos entregar o velódromo completo e inteiro. Teremos um teste no dia 25 para os atletas testarem a pista. O campo de jogo está quase todo pronto, com pista, iluminação, ar condicionado, acesso. O que falta é acabamento, mas certamente vai estar tudo pronto para as Olimpíadas”, declarou Paes.

Na terça-feira, o presidente interino Michel Temer irá ao Rio de Janeiro para visitar instalações olímpicas e há a expectativa é que ele anuncie a liberação de cerca de 1 bilhão de reais necessários para a conclusão da obra da linha 4 do metrô.

Com o Estado endividado e com receitas comprometidas, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) tem criticado as garantias apresentadas pelo Rio de Janeiro para conseguir o empréstimo de quase 1 bilhão.

Autoridades locais apelam a Temer por uma decisão política do governo federal para evitar um novo vexame do Estado. O Rio de Janeiro não conseguiu cumprir a meta de tratar até os Jogos Olímpicos 80 por cento do esgoto lançado na Baía de Guanabara.

A previsão é que, se a verba for liberada, o metrô opere parcialmente durante os Jogos e esteja acessível apenas a chamada "família olímpica".

Reportagem de Rodrigo Viga Gaier

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below