Barcelona vai pagar multa de 5,5 milhões de euros para encerrar caso Neymar

terça-feira, 14 de junho de 2016 10:15 BRT
 

(Reuters) - O Barcelona acertou com as autoridades espanholas pagar uma multa de 5,5 milhões de euros para encerrar um caso que investiga supostas irregularidades fiscais na contratação do atacante brasileiro Neymar em 2013.

O clube catalão havia sido acusado de ocultar parte do dinheiro pago na contratação do jogador junto ao Santos, depois de várias investigações realizadas na Espanha e no Brasil.

O inquérito espanhol começou depois que um sócio do Barça questionou as cifras públicas do acordo com Neymar. Inicialmente o Barça garantiu ter pago 57,1 milhões de euros, mas posteriormente admitiu que o valor estava próximo dos 100 milhões de euros.

O acordo para pagamento da multa, noticiado pela agência de notícias EFE na semana passada, foi confirmado pelo clube em um comunicado nesta terça-feira, após a aprovação de sua diretoria no dia anterior.

"O Comitê Diretivo, reunido nesta segunda-feira em sessão ordinária nas dependências do clube, decidiu aprovar o acordo de conformidade que lhe foi apresentado pelos Serviços Jurídicos da Entidade em referência à ação penal seguinte na Audiência Provincial de Barcelona pela contratação do jogador Neymar Jr.", informou o comunicado.

"O acordo implica no reconhecimento, por parte do Clube, de um erro no planejamento da tributação da contratação do jogador nos exercícios de 2011 e 2013, quando os pagamentos derivados de sua incorporação não foram retidos corretamente", acrescentou. "Por outro lado, o Clube fica exonerado das responsabilidades para o exercício de 2014, também objeto do procedimento penal".

O acerto absolverá também o atual presidente do time, Josep Bartomeu, e o ex-presidente Sandro Rosell de qualquer ato ilícito em relação ao negócio. Bartomeu era vice-presidente durante o mandato de Rosell, quando Neymar assinou o acordo complexo, que contava com múltiplos contratos.

Na semana passada, a Receita Federal espanhola pediu que Neymar fosse julgado por acusações de estelionato e corrupção vinculados à sua transferência do Santos para o Barcelona.

(Por Simon Jennings, em Bangalore)

 
Neymar durante partida do Barcelona em Sevilha.    30/04/2016   REUTERS / Marcelo del Pozo