Presidente do COI diz que Rio 2016 pode unificar Brasil e agradece compromisso de Temer

terça-feira, 14 de junho de 2016 13:33 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O chefe do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, afirmou nesta terça-feira que os Jogos Rio 2016 podem ajudar a unificar o Brasil em um momento de instabilidade política provocada pelo processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff, e agradeceu o comprometimento com a Olimpíada demonstrado pelo presidente interino Michel Temer na primeira reunião entre ambos.

"Estou muito feliz com o compromisso incondicional do presidente Temer com o sucesso desses Jogos Olímpicos. Esse é um compromisso que nós compartilhamos. O Brasil, os brasileiros e o COI estão interessados em fazer uma grande Olimpíada dentro de semanas", disse Bach a repórteres no Parque Olímpico da Barra da Tijuca, após encontro com Temer sobre os preparativos olímpicos.

O presidente do COI está no Rio de Janeiro para uma série de compromissos e teve nesta manhã a primeira reunião com o presidente interino Michel Temer desde o afastamento de Dilma, em maio, devido à tramitação no Congresso do processo de impeachment contra a petista.

"Temos trabalhado muito bem desde a presidente Dilma Rousseff e estamos nesse mesmo sentido com o presidente Temer. Os Jogos Olímpicos não têm nada a ver com política e não são para dividir pessoas, são para unificar pessoas e para unir os brasileiros para serem grandes anfitriões para o mundo”, afirmou Bach, que antes da reunião desta terça-feira já tinha conversado com Temer por telefone.

O dirigente alemão, que vistoriou de perto alguns locais do principal centro de instalações esportivas dos Jogos, afirmou que ainda há muito trabalho pela frente, mas se mostrou confiante de que tudo estará pronto a tempo para a abertura dos Jogos, em 5 de agosto.

Entre as arenas do Parque Olímpico a grande maioria já está pronta e foi testada, mas o velódromo representa uma preocupação. O evento-teste do ciclismo precisou ser cancelado duas vezes, e a expectativa é que o local seja aberto em junho para treinos ainda em obras.

“Eu estou muito confiante, e após a reunião de hoje com o presidente Temer estou ainda mais confiante de que o Brasil vai fazer uma grande Olimpíada”, disse.

Bach preferiu não polemizar ao ser questionado sobre a possibilidade de o julgamento final de Dilma ocorrer durante os Jogos, que vão de 5 a 21 de agosto, e também a respeito de um possível convite à presidente afastada para a cerimônia de abertura da Olimpíada, no Maracanã.

“Esse é um procedimento da democracia brasileira e o COI não entra na política doméstica”, disse o presidente do COI.   Continuação...

 
Bach, duarnte entrevista em Lausanne
 3/6/2016  REUTERS/Denis Balibouse