Chefe do COI diz que orientação da OMS sobre Zika é positiva para Rio 2016

terça-feira, 14 de junho de 2016 19:20 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, afirmou nesta terça-feira que o anúncio feito mais cedo pela Organização Mundial da Saúde (OMS) de que há um risco muito baixo de disseminação do Zika vírus devido aos Jogos Rio 2016 é "muito positiva" para o evento.

Especialistas da OMS disseram que há um "risco muito baixo" de uma disseminação internacional maior do Zika vírus devido aos Jogos Olímpicos no Brasil e reafirmaram seu conselho anterior de que não deve haver restrições de viagem e comércio com países e áreas com transmissão do Zika, incluindo o Rio de Janeiro, sede dos Jogos que acontecerão de 5 a 21 de agosto. [nL1N1961ZV]

De acordo com Bach, a declaração da OMS reduz o receio de alguns atletas e torcedores quanto ao risco da contaminação por Zika vírus durante os Jogos Olímpicos.

“Esse comunicado foi muito positivo para os Jogos Olímpicos e eu acho que com essa diretriz todo espectador, atleta e visitante pode se sentir muito bem-vindo ao Rio de Janeiro e com o sucesso dos Jogos Olímpicos. O comunicado da OMS é muito claro”, disse ele a jornalistas após o lançamento das medalhas dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016.

Bach reiterou que o Rio ficará melhor após os Jogos devido aos investimentos em infraestrutura que estão sendo feitos na cidade e citou o metrô, que vai ligar a zona sul à Barra da Tijuca.

O presidente do COI demonstrou confiança que tanto a obra do metrô quanto a arena de ciclismo, a mais atrasada dos estádios Olímpicos, ficarão prontas até a abertura dos Jogos.

Bach afirmou ainda que o comitê internacional confia no trabalho feito pelas autoridades brasileiras, junto com cooperação internacional, para garantir a segurança da Olimpíada.

PRESENÇA DE DILMA   Continuação...

 
O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, durante cerimônia de lançamento das medalhas da Olimpíada do Rio 
14/06/2016 REUTERS/Sergio Moraes