June 15, 2016 / 11:03 PM / a year ago

Micale comandará seleção olímpica em busca de medalha de ouro inédita

4 Min, DE LEITURA

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O técnico Rogério Micale, que vem desde o ano passado comandando a seleção de base do Brasil, foi oficializado nesta quarta-feira como o treinador que buscará o ouro olímpico inédito no futebol, após a maldição que nos últimos anos vem fragilizando os treinadores da seleção principal que tentaram, sem sucesso, acumular a função.

Ao contrário do antecessor Dunga, o novo técnico da seleção principal, Tite, abriu mão da chance de dirigir o Brasil na Olimpíada do Rio de Janeiro para focar no planejamento e preparação para as eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.

Tite entendeu que assumir o time nos Jogos Olímpicos em um momento de transição representaria um grande risco para uma nova comissão técnica, que vai tentar resgatar o prestígio e a força do futebol brasileiro, desgastados desde o fracasso na Copa do Mundo de 2014, em casa.

As últimas experiências de técnicos de seleção principal que assumiram o time olímpico foram frustrantes. O Brasil até esteve perto do ouro inédito em 2012, em Londres, mas o time de Mano Menezes fracassou diante dos mexicanos. O resultado desgastou o treinador, que não chegou à Copa de 2014, quando o Brasil foi dirigido por Luiz Felipe Scolari.

Quatro anos antes, em 2008 na China, Dunga ficou com a medalha de bronze. Mesmo pressionado, o treinador conseguiu se manter até o Mundial de 2010, na África do Sul, em que o Brasil caiu nas quartas de final diante da Holanda.

A nova comissão técnica, chefiada por Tite, além de se afastar do chamado “risco olímpico”, avaliou que Micale estava muito mais preparado para conduzir o projeto por conhecer melhor os jogadores e participar das negociações com clubes e atletas para a liberação para a Olimpíada.

Como a competição não é uma data Fifa, os clubes não são obrigados a ceder seus jogadores. Neymar e Douglas Costa, duas das estrelas do time principal, já conseguiram o aval dos seus clubes, uma vez que não disputaram a Copa América.

Uma pré-lista com 35 nomes para os Jogos do Rio foi assinada por Micale e encaminhada pela CBF ao Comitê Olímpico Internacional (COI) nesta quarta-feira, data limite determinada pela entidade.

No dia 29, o treinador vai apresentar a lista final de jogadores que vão disputar a Olimpíada.

Micale ganhou prestígio nos últimos anos ao liderar campanhas vitoriosas de equipes de base em clubes brasileiros como Figueirense e Atlético Mineiro. Ele vinha comandando as seleções sub-20 e sub-23 do Brasil e já atuaria como auxiliar de Dunga na Olimpíada.

“Nós não podemos perder a essência do futebol brasileiro que é a individualidade. O que temos que fazer é atrelar a individualidade à coletividade. Todo ano que não vamos bem numa Copa do Mundo, há uma tendência em copiar o que deu certo; acho que isso não é bom. Temos que respeitar nosso cultura e nossa essência. Acreditamos que poderemos fazer um grande trabalho na seleção olímpica”, disse Micale recentemente a jornalistas.

O grupo do Brasil nos Jogos é relativamente fácil e na primeira fase os adversários serão África do Sul, Iraque e Dinamarca.

Reportagem de Rodrigo Viga Gaier

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below