Clubes de futebol da Inglaterra defendem permanência da Grã-Bretanha na UE

segunda-feira, 20 de junho de 2016 08:46 BRT
 

LONDRES (Reuters) - Os principais times de futebol da Inglaterra apoiam o campo do "Ficar" no referendo de quinta-feira que irá decidir se a Grã-Bretanha permanece ou não na União Europeia, porque deixar o bloco abalaria sua abordagem global nos negócios, disse o diretor-executivo da Liga Inglesa nesta segunda-feira.

O dirigente Richard Scudamore disse à rádio BBC que seria "incongruente" a Premier League apoiar uma desfiliação da UE.

"Será que estamos agindo da melhor maneira, como aqueles que querem desempenhar seu papel no mundo e ser cidadãos globais, ou será que queremos mandar uma mensagem que diz que, na verdade, estamos de certa forma levantando a ponte levadiça do lado de cá?", questionou Scudamore.

"Bem, isso não parece pegar muito bem quando você viaja pelo mundo todo, como fazemos".

A liberdade de movimento dos trabalhadores, um postulado central do bloco, tem permitido que os times contratem muitos jogadores de toda a UE.

Em março, a rede BBC noticiou que 332 jogadores europeus das primeira e segunda divisões dos campeonatos Inglês e Escocês não conseguirão cumprir os critérios atuais para jogadores de fora da UE se a Grã-Bretanha se desfiliar do bloco de 28 nações.

Normalmente se exige que os jogadores de fora da UE tenham sido escalados pelas seleções de seus países antes de se conceder a eles vistos de trabalho em solo britânico.

A organização oficial Vote pela Saída disse que jogadores nascidos na Grã-Bretanha teriam mais oportunidades se o país não tivesse mais que cumprir as regras de liberdade de movimento da UE e que os clubes teriam mais liberdade para contratar jogadores de todo o mundo.

(Por Freya Berry)

 
Diretor-executivo da Liga Inglesa, Richard Scudamore.     11/05/2016        REUTERS/Henry Romero