Vila Olímpica da Rio 2016 é apresentada com Janeth como prefeita

quinta-feira, 23 de junho de 2016 19:23 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A maior Vila Olímpica da história dos Jogos foi apresentada para a Rio 2016 nesta quinta-feira e, embora sem luxo, busca dar conforto aos atletas, sob o comando da ex-jogadora de basquete Janeth, anunciada como prefeita da vila.

Em um complexo dividido em 31 prédios de 17 andares, totalizando 3.604 apartamentos, a vila segue os padrões de prédios construídos na Barra da Tijuca e começará a ser ocupada a partir de 24 de julho. Os prédios cinza farão contraste com as instalações provisórias que serão da paleta de cores montada pelo comitê organizador, mas que no momento estão brancas.

"O que foi construído é exatamente o que se vende nessa área da cidade... Basicamente não estamos oferecendo luxo, é o básico", disse o diretor da Vila Olímpica, Mario Cilenti, sobre os prédios que estão sendo vendidos para depois dos Jogos.

"Não queremos que os atletas se preocupem com nada, só com as competições. E trazer um pouco da atmosfera carioca para dentro da Vila, já que ele pode não ter tempo para visitá-la. Nossa vila é compacta, mas é a maior da história", acrescentou.

Os prédios contam com apartamentos de dois ou três quartos básicos, que contam com duas camas cada quarto e uma sala com poltronas e pufes. Todos os quartos possuem almofadas confeccionadas por artesãos do Morro do Alemão especialmente para os atletas, que mostram mensagens de boas vindas.

Por temores do Zika vírus, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti e relacionado com má-formação cerebral em bebês, o comitê organizador optou pela implementação de 12.200 repelentes eletrônicos. Todos os quartos são equipados com ar-condicionado, mas não há redes de proteção contra mosquitos.

Segundo o comitê organizador, cada delegação é livre para comprar algo a mais caso ache necessário para seus atletas.

JANETH PREFEITA   Continuação...

 
Vista da Vila Olímpica durante apresentação à mídia no Rio de Janeiro. 23/6/2016. REUTERS/Sergio Moraes