Micale quer conversa olho no olho com Neymar para escolher capitão da seleção olimpíca

quarta-feira, 29 de junho de 2016 16:13 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Reconhecido internacionalmente mas cobrado pela torcida brasileira pelo desempenho abaixo do esperado na seleção e pelo comportamento polêmico fora de campo, o atacante Neymar será chamado pelo técnico da seleção olímpica do Brasil, Rogério Micale, para uma conversa particular que pode definir seu status como dono da braçadeira de capitão.

Na convocação nesta quarta-feira dos 18 jogadores que vão representar o Brasil na Rio 2016, o treinador destacou o papel de liderança que Neymar, a maior estrela do grupo, poder ter na caminhada em busca do inédito ouro na Olimpíada. Preferiu, no entanto, não garantir que o craque do Barcelona será o capitão do Brasil no Jogos.

“É difícil de responder (se Neymar vai ser o capitão ou não). Eu não conheço ele. Vou ver as características e tudo vai depender do que realizar no dia a dia. Ai vamos tirar as conclusões”, disse Micale a jornalistas.

“Tenho que dar uma oportunidade de uma conversa pessoal com ele e todos. Não podemos ter pré conceito, que é terrível. Quero ter conversa olho no olho para escolher o capitão e ver se vai ser Neymar ou não. São várias opções de liderança”, acrescentou.

O posto de capitão da seleção foi colocado em xeque na Copa do Mundo de 2014, quando o então dono da braçadeira, o zagueiro Thiago Silva, foi questionado por críticos por ter chorado em campo durante disputa de pênaltis contra a seleção do Chile nas oitavas de final.

Depois do Mundial, o então técnico Dunga entregou a braçadeira a Neymar, mas o novo treinador do time principal do Brasil, Tite, disse em sua primeira entrevista coletiva após assumir o cargo este mês que ainda não sabe se manterá o jogador do Barcelona como capitão.

Segundo Micale, a braçadeira é apenas um simbolismo para o público saber quem é o capitão da equipe e, nada impede que o grupo tenha lideranças importantes e decisivas mesmo sem o adereço no braço.

Ao ser questionado sobre o comportamento fora de campo de Neyamr, assíduo em festas e badalações, o treinador olímpico do Brasil chegou a falar em conversa de homem para homem com o atacante.

“Mais do que uma atleta bem-sucedido, Neymar é uma atleta e um homem com sentimentos, com reações como qualquer um. A conversa com Neymar vai ser de um homem para outro homem. Vou respeitá-lo, e tenho certeza que o Neymar vai respeitar a situação como homem. Daí vamos construir uma relação e vamos ter o desempenho do Neymar. A relação vai ser transparente e não tem porque ter divergência”, disse.   Continuação...

 
Atacante Neymar durante partida do Barcelona na Copa do Rei.    
Reuters / Juan Medina
Livepic