Messi é condenado a 21 meses de prisão por fraude fiscal, mas não deve ir para cadeia

quarta-feira, 6 de julho de 2016 09:11 BRT
 

MADRI (Reuters) - O astro do Barcelona Lionel Messi foi condenado a 21 meses de prisão e multado em 2 milhões de euros por um tribunal de Barcelona por ser considerado culpado de três acusações de fraude fiscal, informou a corte em comunicado nesta quarta-feira.

O tribunal também condenou o pai do jogador argentino, Jorge, a 21 meses de prisão e multa de 1,5 milhão de euros pelos mesmos três crimes. No entanto, sob a lei espanhola, uma sentença de prisão inferior a 2 anos por crimes não violentos pode ser cumprida sob liberdade condicional, o que significa que Messi e seu pai provavelmente não irão para a prisão.

Além disso, cabe recurso contra a sentença junto à Suprema Corte da Espanha, segundo o comunicado do tribunal da cidade espanhola.

Messi, de 29 anos, e seu pai foram acusados pelas autoridades espanholas de terem fraudado 4,2 milhões de euros em impostos sonegados entre 2007 e 2009.

O tribunal descobriu que eles usaram uma rede de empresas para sonegar impostos de renda sobre ganhos de direitos de imagem do jogador.

Messi, cinco vezes eleito o melhor jogador do mundo, disse durante o julgamento que não tinha conhecimento dos acordos financeiros e que seu pai tinha controle sobre todos os assuntos econômicos de sua carreira. O tribunal informou que isso não é suficiente para que ele evitar as denúncias.

Messi e seu pai já pagaram 5 milhões de euros às autoridades fiscais como uma medida "corretiva" após o início das investigações formais.

O jogador é o 10° na lista da revista Forbes dos atletas mais bem pagos da década passada, com uma renda estimada em 350 milhões de dólares no período.

(Reportagem de Angus Berwick e Emma Pinedo)

 
Lionel Messi e seu pai, Jorge, durante julgamento em Barcelona.    02/06/2016      REUTERS/Alberto Estevez/Pool/Files