July 11, 2016 / 10:58 PM / a year ago

Comitê Rio 2016 tem déficit entre R$400 mi e R$500 mi, diz fonte

5 Min, DE LEITURA

Funcionários trabalham em Parque Olímpico da Rio 2016, 11/7/2016.Bruno Kelly

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A 25 dias dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, o comitê organizador tem que encontrar formas de reverter um déficit nas contas estimado entre 400 milhões e 500 milhões de reais, informou nesta segunda-feira uma fonte próxima à organização do evento.

“Cortamos tudo que era possível, mas mesmo assim não está cabendo no orçamento”, disse à Reuters a fonte, sob condição de anonimato. “Houve até problemas com o pessoal do COI (Comitê Olímpico Internacional) porque cortamos algumas regalias vistas em outros Jogos.”

O orçamento dos Jogos Olímpicos é de cerca de 40 bilhões de reais, sendo a maior parte (24,6 bilhões de reais) para obras de infraestrutura. Pouco mais de 7 bilhões de reais foram para a construção de arenas esportivas, e outros 7,5 bilhões de reais, de origem privada, são do comitê organizador Rio 2016.

De acordo com a proposta de candidatura dos Jogos do Rio, qualquer eventual déficit nas contas do comitê organizador terá que ser dividido em partes iguais entre a União, Estado e município.

Apesar da conta no vermelho, os organizadores do evento ainda consideram os Jogos do Rio uma referência, não só pelo volume de gastos envolvidos, como pelas parcerias público-privadas que reduziram a necessidade de investimento público na Olimpíada.

“Se pensar em 7,5 bilhões de orçamento, um déficit de 400 milhões a 500 milhões (de reais) representa cerca de 6 por cento, muito pouco para um projeto desse tamanho. São os Jogos mais baratos da história”, declarou a fonte.

Um porta-voz do comitê organizador, Phil Wilkinson, não quis fazer comentário sobre as contas. "Estamos no caminho para entregar um orçamento equilibrado para os Jogos", disse à Reuters.

Entre as causas do déficit atual está um impasse sobre a Vila dos Atletas. Inicialmente, o aluguel do local que hospedará a maioria dos esportistas seria bancado pelo governo federal, disse a fonte. O compromisso foi feito com o governo da presidente afastada Dilma Rousseff, mas a ajuda não se concretizou. O compromisso inicial do Comitê Rio 2016 era empenhar apenas 10 por cento do valor, ou seja, 40 milhões de reais.

Outro obstáculo foi a não concretização da esperada parceria com a Petrobras. Na preparação dos Jogos, o patrocínio era dado como certo no orçamento do Comitê Rio 2016.

“Nos últimos 20 anos, a empresa de óleo local sempre é a maior patrocinadora", contou a fonte. “Não ter a Petrobras representa não ter o patrocínio e ter que pagar o combustível dos carros envolvidos nos Jogos.”

“Como a rede de energia não ficou totalmente pronta para os Jogos, tivemos que arcar com os gastos com geradores de energia também”, afirmou a fonte, acrescentando que os gastos com combustível somam 100 milhões de reais.

Corte De Custos

No ano passado, um primeiro alerta já tinha sido dado pela organização do evento, que anunciou a necessidade de cortar custos. Entre as economias estão a redução da arena de vôlei de praia em Copacabana e a desistência da construção de arquibancadas no espelho d’água na lagoa Rodrigo de Freitas. Houve ainda um corte no número de voluntários.

Em um momento de crise econômica no país, que enfrenta a pior recessão em décadas e com o setor público em dificuldades financeiras, um possível déficit nas contas olímpicas pode se tornar um problema a mais para os entes federativos.

Para o Estado do Rio, que decretou estado de calamidade pública por causa da crise, a possibilidade de ter que ratear um eventual déficit nas contas dos Jogos é totalmente rechaçada. “Não estou rateando nem superávit, quanto mais déficit”, disse à Reuters uma outra fonte, do governo estadual.

“Como a prefeitura tem uma situação melhor que a do Estado, ela pode ajudar a botar dinheiro”, complementou.

Uma terceira fonte, ligada ao município do Rio, afirmou que o esforço está sendo feito para que o orçamento feche no azul. “Estamos trabalhando dia e noite para fazer tudo no prazo e no custo, e para não ter déficit”, declarou.

Segundo a fonte da organização, para reverter o déficit que se desenha, sem ajuda pública, só há dois caminhos: aparecer um patrocinador em cima da hora ou uma explosão de venda de ingressos.

Até agora, cerca de 4,5 milhões de bilhetes foram vendidos, mas há ao menos 1,5 milhão disponíveis, embora, de acordo com o Comitê Rio 2016, aproximadamente 90 por cento da previsão de receita tenha sido atingida, com a venda dos 4,5 milhões de ingressos.

“Patrocinador e venda maciça de ingressos parece complicado”, finalizou a fonte da organização.

Com reportagem adicional de Brad Brooks

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below