Título de Portugal comprova a força do futebol coletivo, diz Tite

terça-feira, 12 de julho de 2016 08:59 BRT
 

(Reuters) - A inédita conquista portuguesa da Eurocopa sobre a favorita França, mesmo sem o capitão Cristiano Ronaldo, é a comprovação de que no futebol moderno a coletividade é mais importante do que o talento individual, disse na noite de segunda-feira o técnico da seleção brasileira, Tite.

Segundo Tite, a individualidade de um jogador, como no caso de Cristiano Ronaldo, passa a ser mais valorizada quando um time tem bom entrosamento e trabalho coletivo. Do contrário, dificilmente títulos e vitórias serão alcançados apenas com a qualidade individual.

"Portugal mostrou sua consistência mesmo sem o seu principal astro, e isso mostra que o coletivo potencializa o individual e não o inverso", disse o treinador em Belo Horizonte, onde foi assistir a um jogo do Campeonato Brasileiro.

Portugal perdeu Cristiano Ronaldo lesionado logo nos primeiros minutos da final da Euro 2016 contra a França, no domingo, mas mesmo assim conseguiu vencer a decisão por 1 x 0, na prorrogação, com um gol do reserva Éder.

Tite já havia elogiado recentemente o trabalho coletivo que vem sendo feito pelo Chile, bicampeão da Copa América nos últimos dois anos derrotando a Argentina, que individualmente tem talentos melhores, como Messi, Di María e outros.

No caso da seleção brasileira, Tite tem assistido no estádio a vários jogos do Campeonato Brasileiro e pretende também visitar clubes e jogadores para ficar mais próximo da realidade dos clubes e conhecer o dia a dia dos profissionais.

O treinador reiterou que no momento seu principal objetivo é a conquista da vaga para a Copa do Mundo da Rússia, em 2018. O Brasil está hoje em sexto lugar nas eliminatórias, fora da zona de classificação.

"Nosso papel é classificar para o Mundial. Esse é o foco e o único objetivo. A partir daí, o crescimento e o desenvolvimento da equipe é que podem representar um segundo momento da seleção", acrescentou.

(Por Rodrigo Viga Gaier, no Rio de Janeiro)

 
Técnico da seleção brasileira, Tite, durante visita ao museu da CBF, no Rio de Janeiro.    20/06/2016       REUTERS/Sergio Moraes