Quatro países correm mais risco de infecções de Zika em função da Olimpíada, diz órgão dos EUA

quarta-feira, 13 de julho de 2016 14:51 BRT
 

(Reuters) - Quatro países correm mais risco de sofrer um surto de Zika devido às viagens relacionadas à Olimpíada do Rio de Janeiro de 2016, alertou uma agência de saúde dos Estados Unidos nesta quarta-feira.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC, na sigla em inglês) identificou Chade, Djibouti, Eritreia e Iêmen como os mais suscetíveis ao vírus transmitido por mosquito entre as 19 nações cujas condições podem levar a uma epidemia.

Estes quatro países são mais suscetíveis por não terem uma quantidade substancial de viagens a países afetados pelo Zika que não estejam relacionadas aos Jogos, disse o CDC.

Os 19 países identificados pelo CDC não relataram um surto até agora. Excluindo-os, o comparecimento à Olimpíada não representa um 'risco substantivo' de contágio do vírus.

No mês passado, porém, a Organização Mundial da Saúde (OMS) concluiu que existe um 'risco muito baixo' de uma disseminação internacional maior do Zika por conta dos Jogos.

Autoridades de saúde globais estão se apressando para entender melhor o Zika vírus, que causou um grande surto que começou no Brasil no ano passado e se espalhou em muitos países das Américas.

O Brasil, até o momento o país mais afetado pelo vírus, sedia a Olimpíada no mês que vem, e desde o início do surto muitos competidores, médicos e visitantes em potencial expressaram o temor de que o evento possa funcionar como um catalisador para um contágio mundial.

De acordo com o Conselho Nacional de Turismo do Brasil, entre 350 mil e 500 mil visitantes e atletas de 207 países devem viajar ao Rio de Janeiro para os Jogos, disse o CDC.

(Por Natalie Grover)