Ministério Público do Rio investiga contratos em obras de centro de hipismo e velódromo

quinta-feira, 14 de julho de 2016 19:10 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O Ministério Público do Rio de Janeiro anunciou nesta quinta-feira que estão sob investigação contratos de obras do Centro Olímpico de Hipismo e do velódromo para a Olimpíada.

Estão sob investigações contratos, sem licitação, para conclusão de obras do local onde serão disputadas as provas de hipismo na Rio 2016 e para a construção do velódromo.

"A (sociedade empresária) Zadar teria recebido do município 66 milhões de reais; e a Engetécnica, 55,5 milhões de reais para, respectivamente, concluir as obras de adequação do Centro de Hipismo e de construção do velódromo", informou o MPRJ em comunicado.

Segundo o Ministério Público, foi instaurado inquérito para investigar a contratação, sem licitação, da Zadar e da Engetécnica depois de as responsáveis pela obra, a Ibeg Engenharia e a Tecnosolo, não executarem os serviços.

A investigação sobre a contratação da Engetécnica foi encaminhada a 3ª Promotoria de Justiça, que está analisando as informações. Foram ainda expedidos ofícios com pedido de informações da Prefeitura do Rio, da Empresa Olímpica Municipal (EOM) e da Empresa Municipal de Urbanização (RioUrbe) sobre essas sucessões contratuais.

Em comunicado, a Prefeitura do Rio disse que "por causa da proximidade dos Jogos Olímpicos e da impossibilidade de paralisar as obras para cumprimento do tempo de procedimento licitatório, a RioUrbe optou pela contratação emergencial, com cotação no mercado".

A Prefeitura argumentou que a Zadar apresentou a melhor proposta para o término das obras do centro de hipismo, e a Engetécnica, o melhor preço para a conclusão do velódromo. Disse ainda que "prestará todos os esclarecimentos solicitados pelo Ministério Público do Rio de Janeiro".

Zadar e Engetécnica não foram imediatamente localizadas para comentar.

O MPRJ pediu também esclarecimentos sobre aplicação de sanção administrativa à Ibeg Engenharia e à Tecnosolo por não terem executado integralmente o contrato e as providências adotadas em relação aos pagamentos feitos a essas empresas.   Continuação...

 
Evento no velódromo dos Jogos do Rio.  26/6/2016.   REUTERS/Sergio Moraes