Equipe brasileira de boxe aposta na torcida para superar no Rio resultado de Londres-2012

quinta-feira, 14 de julho de 2016 20:51 BRT
 

Por Marta Nogueira

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Depois das medalhas conquistadas na Olimpíada de Londres-2012, a equipe brasileira de boxe aposta na torcida como forma de alavancar motivação e rendimento, para tentar superar nos Jogos do Rio de Janeiro o resultado obtido há quatro anos.

O Brasil teve em 2012 seu melhor desempenho no boxe olímpico, com a conquista de três medalhas, duas de bronze e uma de prata, quebrando um jejum de 44 anos.

A mentalização da torcida apoiando durante a competição tem sido parte do treino da medalhista olímpica Adriana Araújo, de 34 anos, que conquistou o bronze em Londres, na estreia do torneio olímpico de boxe feminino.

“De dois meses para cá eu venho tendo visões de estar lutando e levantando a mão, e a galera chegando junto, fazendo coro, tenho certeza que vai ser o máximo e tenho certeza que vou estar me divertindo muito com a galera”, disse Adriana em evento no Rio nesta quinta-feira.

A atleta afirmou que tem feito um treinamento totalmente diferente do realizado para Londres, aproveitando a experiência e o amadurecimento a partir dos Jogos passados e dos 16 anos de carreira.

“Em Londres, ajudou muito pela idade, 29 anos, 30 anos, corpo já ia mais no embalo do querer e da vontade, agora não, agora tenho uma experiência, tenho um trabalho em equipe daquilo que é necessário... agora o foco é Rio e conseguir uma nova cor de medalha, se possível a de ouro”, afirmou.

Mas os boxeadores também esperam forte pressão por parte dos brasileiros, e eles pretendem reverter em força e energia para vencer.

Joedison “Chocolate” Teixeira, 22, bronze dos Jogos Pan-Americanos de Toronto, em 2015, ouro no Pré-Pan-Americano de 2015, além do título no World Combat Games, em São Petersburgo, em 2013, ponderou que a torcida é algo importante para a vida do atleta, tanto pelo lado positivo quanto pelo negativo.   Continuação...

 
Adriana Araújo comemora durante luta em Londres-2012. 8/8/2012.    REUTERS/Damir Sagolj