Laboratório de Moscou protegeu atletas russos dopados em Olimpíada de Inverno, diz Wada

segunda-feira, 18 de julho de 2016 10:36 BRT
 

Por Steve Keating

TORONTO (Reuters) - Um amplo esquema de uso de doping por atletas russos com apoio do Estado nos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi foi confirmado nesta segunda-feira em um relatório de uma comissão independente da Agência Mundial Antidoping (Wada), ampliando os pedidos internacionais por um banimento completo do país da Olimpíada do Rio de Janeiro.

De acordo com o relatório, liderado pelo professor e advogado esportivo Richard McLaren e divulgado em entrevista coletiva em Toronto, um laboratório antidoping de Moscou protegeu atletas russos durante os Jogos de Inverno de Sochi, em 2014.

McLaren, que foi membro da comissão independente da Wada que no ano passado expôs amplo uso de doping e corrupção no atletismo russo, disse que o Ministério do Esporte da Rússia supervisionou a manipulação de resultados de análises de doping de atletas russos e a troca de amostras.

As descobertas do relatório de McLaren aprofundam a crise que cerca atletas russos e que gerou um crescente movimento pelo banimento do país dos Jogos Rio 2016, que têm início em 5 de agosto.

O relatório abordou acusações feitas pelo ex-chefe do Laboratório Antidoping de Moscou Grigory Rodchenkov, que há dois meses disse ao New York Times que dezenas de russos usaram substâncias proibidas para obter aumento de performance em Sochi com aprovação de autoridades esportivas nacionais.

(Reportagem de Steve Keating)

 
Funcionário segurando amostra de sangue em laboratório antidoping em Moscou.   14/05/2016       REUTERS/Sergei Karpukhin