COI irá adotar sanções mais duras disponíveis por escândalo de doping na Rússia

segunda-feira, 18 de julho de 2016 13:40 BRT
 

LONDRES (Reuters) - O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, descreveu as descobertas de um relatório independente da Agência Mundial Antidoping (Wada) sobre doping russo nos Jogos de Inverno de Sochi como amostra de um "ataque chocante e sem precedentes à integridade dos esportes e dos Jogos Olímpicos".

O COI não informou se irá acatar pedidos recentes para que banimentos olímpicos impostos a membros das delegações de atletismo e levantamento de peso sejam estendidos para todos os competidores russos nos Jogos Olímpicos Rio 2016, que têm início em 5 de agosto.

Em comunicado nesta segunda-feira, Bach disse: "O COI irá agora estudar cuidadosamente as acusações complexas e detalhadas, especialmente no que tange o Ministério dos Esportes da Rússia".

"O COI não irá hesitar em adotar as sanções mais duras disponíveis contra quaisquer indivíduos ou organizações implicadas."

A Wada pediu explicitamente para que o COI considere banir a Rússia, como um todo, da Rio 2016.

O relatório, apoiado pela Wada, confirmou acusações feitas pelo ex-chefe do Laboratório Antidoping de Moscou Grigory Rodchenkov, que há dois meses disse ao New York Times que dezenas de russos usaram drogas para aumento de performance em Sochi com aprovação de autoridades nacionais do esporte.

O comitê executivo do COI irá realizar uma teleconferência na terça-feira para tomar suas primeiras decisões. Estas podem incluir medidas provisórias e sanções sobre a participação da Rússia na Rio 2016.

 
Presidente do COI, Thomas Bach, durante evento em Lausanne, Suíça.   21/06/2016      REUTERS/Denis Balibouse/Files