COI adia decisão sobre banir Rússia da Olimpíada do Rio

terça-feira, 19 de julho de 2016 15:56 BRT
 

Por Brian Homewood

BERN (Reuters) - A participação da Rússia na Olimpíada do Rio de Janeiro permaneceu em dúvida nesta terça-feira, depois que o Comitê Olímpico Internacional (COI) disse que vai "explorar opções legais" a respeito da decisão sobre proibir ou não o país de disputar os Jogos no mês que vem.

Em uma reunião de emergência do conselho executivo do COI na Suíça, um dia após um relatório independente detalhar um programa de doping sistemático e controlado pelo Estado na Rússia, os integrantes do COI evitaram uma proibição imediata, mas divulgaram uma série de medidas relacionadas com o relatório.

"No que diz respeito à participação de atletas russos nos Jogos Olímpicos Rio 2016, o COI vai avaliar cuidadosamente o relatório", informou um comunicado da entidade. "Vai explorar as opções legais sobre uma proibição coletiva de todos os atletas russos para os Jogos de 2016 em relação ao direito à justiça individual."

O comunicado disse ainda que o comitê teria que levar em consideração a decisão da Corte Arbitral do Esporte (CAS), a ser divulgada na quinta-feira, relativa às regras da Iaaf, assim como o Código Mundial Antidoping e a Carta Olímpica.

A CAS vai se pronunciar sobre a disputa entre a Rússia, 68 de seus atletas e o órgão que comanda o atletismo mundial sobre a participação do atletismo russo na Rio 2016, após a Iaaf ter decidido pela proibição da modalidade.

O relatório independente, encomendado pela Agência Mundial Antidoping (Wada) e compilado pelo advogado canadense Richard McLaren, revelou na segunda-feira um amplo programa de doping patrocinado pelo Estado russo, particularmente nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2014 na cidade russa de Sochi.

Testes positivos foram encobertos e amostras de urina "sujas" trocadas por "limpas" com métodos desenvolvidos pelo serviço de inteligência russo. O vice-ministro dos Esportes, Yuri Nagornykh, decidia quais atletas seriam protegidos.

O COI disse nesta terça-feira que iniciou uma ação disciplinar contra autoridades mencionadas no relatório e que qualquer pessoa implicada não teria permissão para participar da Rio 2016.

(Reportagem adicional de Mitch Phillips)

 
Técnica prepara amostra de urina para exame antidoping em laboratório de Lausanne, na Suíça. 15/07/2016 REUTERS/Valentin Flauraud