Suposto grupo extremista do Brasil declara apoio ao Estado Islâmico, diz serviço de inteligência

terça-feira, 19 de julho de 2016 18:55 BRT
 

(Reuters) - Um suposto grupo militante intitulado Ansar al-Khilafah Brazil declarou apoio ao Estado Islâmico em publicação em um aplicativo de mensagens e promoveu propaganda jihadistas em inglês e português, de acordo com o serviço internacional de inteligência Site, especializado no combate ao terrorismo.

De acordo com o Site, um jihadista apoiador do Estado Islâmico denominado Ismail Abdul Jabbar al-Brazili enviou mensagens em português pelo serviço Telegram repetindo discurso de um porta-voz oficial do grupo militante, além de outras mensagens.

"Em 17 de julho, 'Ansar al-Khilafah Brazil' também postou uma mensagem em português questionando o benefício de policiais franceses treinarem a polícia brasileira, quando os próprios franceses foram incapazes de prevenir ataques de combatentes e aliados do Estado Islâmico", disse o Site em um comunicado enviado por email.

Em nota, a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) disse que todas as ameaças relacionadas à Olimpíada deste ano no Rio de Janeiro "estão sendo minuciosamente apuradas, em particular as relacionadas ao terrorismo" e disse que essas ameaças são tratadas de forma integrada pelas unidades especializadas das áreas de inteligência, segurança pública e defesa.

"Os órgãos responsáveis pelo planejamento dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos reafirmam seu compromisso com a garantia integral da segurança de todos os presentes ao grande evento", afirma a nota.

O Estado Islâmico, que ocupa territórios da Síria e do Iraque, tem reivindicado a autoria de uma série de atentados recentes espalhados pelo mundo, inclusive o ataque da semana passada em Nice, na França, em que um motorista lançou um caminhão sobre uma multidão e matou 84 pessoas.

O incidente na França levou as autoridades brasileiras responsáveis pela segurança dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro a anunciar uma revisão do planejamento para reforçar a proteção aos atletas e espectadores da Olimpíada.

A Abin confirmou no mês passado que equipes de inteligência que atuam próximas ao plano de segurança dos Jogos do Rio tinham detectado a abertura de uma conta em português no Telegram para a troca de informações sobre o Estado Islâmico, mas as autoridades garantem que não foi detectada qualquer ameaça de ataque ao país.

  Continuação...