Tite diz que é desumano jogar todas as expectativas sobre Neymar

quarta-feira, 20 de julho de 2016 19:04 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Em visita à Grande Comary, em Teresópolis (RJ), onde a seleção olímpica treina para os Jogos do Rio de Janeiro, o técnico Tite tentou tirar das costas do atacante Neymar o peso sobre as expectativas da equipe brasileira.

Tite, anunciado como técnico da seleção principal há um mês mas ainda sem estrear, preferiu ressaltar o poder do grupo no desempenho de um time.

“O coletivo potencializa o individual e é desumano colocar em cima de uma atleta que ele pode ser o único diferencial”, declarou ele a jornalistas, ao ser questionado sobre o fato de Neymar ser o único craque do grupo.

“Claro que a qualidade técnica individual é importante, mas é desumano colocar em um atleta uma expectativa de que tudo que possa ser gol ou ofensivo seja de um jogador."

Sobre a busca pelo inédito ouro olímpico, Tite disse que o Brasil não pode fugir dessa responsabilidade, mas que não se trata de uma obrigação, nem mesmo depois do fracasso na Copa do de 2014 em casa.

“Às vezes você faz um grande trabalho e não conquista... vamos buscar um bom desempenho sem tentar modificar histórias passadas, tanto boas quanto ruins. O grau de responsabilidade é muito grande”, avaliou.

“Jogar bem e ter resultado já é uma carga muito grande. Mas não posso trazer o passado, temos que construir nossa própria história. O trabalho é direcionado para a medalha de ouro”, disse ele, ressaltando que "não dá para assegurar título, medalha, isso não existe, isso é vender ilusão".

O treinador do time principal, que enfrentou Neymar algumas vezes quando dirigia o Corinthians, chegou à concentração da seleção pela manhã e almoçou com os jogadores. Ali, teve o primeiro contato com Neymar e com a própria Granja Comary.

Na Olimpíada, o Brasil será comandado pelo técnico Rogério Micale, que já estava à frente da equipe quando Tite substituiu Dunga.   Continuação...

 
Tite concede entrevista na sede da CBF, no Rio de Janeiro.  20/6/16.  REUTERS/Sergio Moraes