Banimento de atletismo russo da Rio 2016 irá desestimular doping, diz Bolt

sexta-feira, 22 de julho de 2016 11:18 BRT
 

(Reuters) - A proibição da participação da equipe de atletismo da Rússia na Olimpíada do Rio de Janeiro irá desestimular o doping e ajudar a limpar o esporte, disse o jamaicano seis vezes campeão olímpico Usain Bolt.

Na quinta-feira, a Corte Arbitral do Esporte (CAS) rejeitou o recurso apresentado pela Rússia contra um banimento por doping para sua equipe de atletismo inteira na Rio 2016, que acontece de 5 a 21 de agosto.

A suspensão foi imposta em novembro pela Associação Internacional de Federações de Atletismo (Iaaf) depois que um relatório independente revelou a prática generalizada de doping com patrocínio estatal no atletismo russo.

O afastamento foi mantido em junho, quando o Conselho da IAAF decidiu que a Rússia não havia feito progressos suficientes para transformar seu programa antidoping.

"Isso irá assustar muita gente e enviar uma mensagem forte de que o esporte leva essa limpeza a sério", disse Bolt à mídia britânica. "Se você tem prova e flagra alguém, com certeza acho que deveria agir".

A Rússia ficou em terceiro lugar no quadro de medalhas dos Jogos de Londres de 2012.

A decisão do CAS, o principal tribunal do esporte, aumenta a possibilidade de o Comitê Olímpico Internacional (COI) excluir a Rússia de todos os esportes, e não só o atletismo, na Rio 2016.

Bolt irá disputar as provas de 100m, 200m e 4x100m pela Jamaica, apesar de uma lesão que o impediu de disputar a seletiva olímpica do país.

Ele acredita que estará em plena forma antes embarcar para o Rio.

"Meu tendão está bom. Não tenho nenhum problema no momento", afirmou o atleta de 29 anos. "Tive uma luxação. Se tivesse competido, provavelmente teria rompido feio o tendão, mas em nenhum momento me preocupei. Sei que estou em boa forma".

(Por Ian Rodricks, em Bangalore)

 
Campeão olímpico Usain Bolt durante evento em Kingston.   30/06/2016      REUTERS/Gilbert Bellamy