Decisão do COI sobre Rússia é golpe para atletas honestos, dizem organizações antidoping

domingo, 24 de julho de 2016 16:17 BRT
 

Por Gene Cherry

(Reuters) - O Comitê Olímpico Internacional (COI) não mostrou rigidez e liderança ao decidir pelo não-banimento dos atletas russos na Olimpíada do Rio, em um dia triste para o esporte honesto e limpo, disseram membros de entidades antidoping neste domingo.

O COI resistiu aos apelos pelo banimento geral dos russos que competirão nos Jogos Olímpicos em agosto devido ao histórico de doping do país, deixando a questão sobre a participação ou não dos atletas para as federações internacionais responsáveis por cada esporte.

"O comitê executivo do COI não confrontou vigorosamente as evidências de doping patrocinado pelo Estado na Rússia, que corromperam todo o sistema esportivo russo", disse Joseph de Pencier, chefe executivo da iNADO (Instituto das Organizações Nacionais Antidoping), que reúne 59 entidades antidoping. 

"O COI ignorou os apelos dos atletas limpos, de várias organizações e das agências antidoping dos países, para fazer o certo e excluir a Rússia dos Jogos Olímpicos do Rio", acrescentou, em comunicado.

"É um dia triste para o esporte limpo."

De Pencier e os principais executivos da agência antidoping norte-americana também criticaram o COI por não permitir que a russa Yulia Stepanova, delatora do sistema de corrupção russo, competisse no Rio. 

"Recusar a participação dela nos Jogos é incompreensível e vai sem dúvida intimidar delatores a seguir adiante no futuro", disse Travis Tygart, chefe executivo da USADA, a agência norte-americana antidoping, em comunicado.

As revelações de Stepanova ajudaram a expor o massivo esquema de doping na Rússia. Ela e o marido estão se escondendo nos Estados Unidos, temendo por suas vidas no país-natal.

Não encontrar uma brecha para ela competir no Rio "está longe de ser a proteção inequívoca de fair play como um princípio olímpico fundamental que as circunstâncias exigiam", disse De Pencier.

Tygert foi quem liderou a campanha de banimento da Rússia em todas as competições no Rio.