Metrô do Rio treina funcionários contra ação de terrorismo e troca lixeiras para Rio 2016

segunda-feira, 25 de julho de 2016 12:04 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Funcionários do metrô do Rio de Janeiro receberam treinamento especial contra possíveis atos de terrorismo e as lixeiras das plataformas foram trocadas por cestos transparentes como parte de medidas para evitar um atentado nos Jogos Olímpicos, afirmou nesta segunda-feira o secretário estadual de Transportes, Rodrigo Vieira.

Durante apresentação da nova estação Jardim de Alah, parte do chamado trecho olímpico construído para os Jogos, Vieira disse que o circuito interno de câmeras do metrô será monitorado pelo Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) e que as lixeiras estão sendo trocadas por modelos de acrílico para facilitar inspeções.

"Os funcionários do metrô receberam orientações antiterrorismo. Se vocês perceberem, todas as lixeiras são translúcidas, todos os cuidados foram tomados", disse Vieira a repórteres.

A preocupação com a segurança está entre as principais questões dos Jogos Olímpicos, em especial com relação a possíveis atos de terrorismo depois de recentes ataques na França, na Alemanha, nos Estados Unidos e em outros países.

Na semana passada, a Polícia Federal realizou uma operação contra suspeitos de realizaram "atos preparatórios" de terrorismo no Brasil, em uma operação inédita no país que resultou na prisão de 12 pessoas que vinham se comunicando via internet sobre a possibilidade de fazer um ataque durante a Olimpíada.

O início das operações da nova linha de metrô do Rio será a partir do dia 1° de agosto, apenas quatro dias antes da cerimônia de abertura dos Jogos e só para portadores de credenciais. Durante a Olimpíada o acesso será liberado também a torcedores com ingressos, mas a capacidade será limitada, assim como o intervalo, o que pode resultar em espera por longos períodos.

Segundo Vieira, mesmo com atrasos na entrega das obras, o tempo foi suficiente e testes estão sendo realizados há mais de um ano para o início das operações.

"Os trens dessa linha já foram testados e são utilizados nas linhas 1 e 2 do metrô há quase um ano. Os testes dos equipamentos começaram no ano passado e são várias baterias de testes. Cada equipamento que foi instalado aqui foi testado e homologado na origem, na sua fábrica e após serem instalados aqui, foram novamente testados", disse.

(Por Caio Saad)