Michael Jordan condena mortes de negros por policiais e ataques contra polícia

segunda-feira, 25 de julho de 2016 19:13 BRT
 

Por Fiona Ortiz

CHICAGO (Reuters) - O ídolo do basquete Michael Jordan falou sobre violência policial nesta segunda-feira e anunciou duas bolsas de um milhão de dólares para o Fundo de Defesa Legal do grupo de direitos civis NAACP e para um grupo que trabalha para melhorar a relação da polícia com as comunidades.

"Eu não posso mais ficar calado”, escreveu Jordan num comunicado enviado para a imprensa. Estrela aposentada do esporte e magnata do mundo dos negócios, ele é conhecido por evitar temas sociais, embora tenha feito doações políticas no passado.

"Como um norte-americano orgulhoso, um pai que perdeu o próprio pai num ato de violência sem sentido, e um homem negro, eu tenho ficado profundamente perturbado com as mortes de afroamericanos nas mãos das forças de segurança e enfurecido com os ataques e mortes covardes e odiosos contra policiais”, escreveu Jordan, de 53 anos.

Nos últimos dois anos tem havido ondas de protestos nos Estados Unidos por causa das mortes de homens negros por policiais e um debate cada vez maior no país sobre policiamento e minorias.

Os assassinatos planejados de policiais em duas cidades por veteranos militares negros neste mês alimentaram as preocupações de uma retaliação contra a polícia. Cinco policiais foram mortos em Dallas, e três foram mortos em Baton Rouge, em Louisiana.

Jordan disse que ele quer um tratamento justo da polícia para as pessoas negras e apoio e respeito para os policiais.

 
Ex-estrela do basquete Michael Jordan discursa durante festa em Paris
12/06/2015 REUTERS/Gonzalo Fuentes