Espanha está otimista sobre problemas na Vila Olímpica, diz chefe da delegação

quarta-feira, 27 de julho de 2016 13:29 BRT
 

(Reuters) - O chefe da equipe olímpica da Espanha, Cayetano Cornet, tem esperanças de que as “críticas” condições da Vila Olímpica no Rio vão melhorar drasticamente a tempo para a chegada da maioria da delegação de seu país, na sexta-feira.

Cornet, que chegou à Vila com outros atletas espanhóis quando ela foi aberta oficialmente, no domingo, expressou preocupações sobre a segurança do complexo de 31 prédios de apartamentos após encontrar problemas com encanamento, na instalação elétrica e de limpeza.

O chefe da missão espanhola disse à rádio Cadena Cope na quarta-feira que “a Vila Olímpica é linda, mas o interior dos prédios apresenta deficiências que levaram a essa situação crítica”.

“É normal que prédios novos tenham problemas. No entanto, o problema é que o número de problemas é muito grande.”

Diversos países expressaram preocupações sobre as acomodações na vila, mas com 10 dias para o começo dos Jogos, atletas espanhóis ainda não foram capazes de se mudar para o prédio destinado à delegação.

“Temos um prédio inteiro para nossa delegação, mas quando chegamos, não pudemos utilizá-lo”, disse Cornet. “Nos deram alguns quartos em outro prédio até que o nosso seja completado”, disse.

“O que preocupa mais é que há muitos apartamentos que estão inabitáveis e inundados. Isso causa preocupação, porque há apartamentos que também têm problemas de eletricidade, e essa combinação (de água e eletricidade) preocupa todo mundo.”

O Comitê Olímpico Australiano decidiu buscar uma acomodação alternativa para seus atletas até que os problemas fossem resolvidos, e outras delegações contrataram fornecedores terceirizados para ajudar a completar os trabalhos.

Organizadores dos Jogos enviaram 630 pessoas para trabalhar ininterruptamente para garantir que os 3.600 apartamentos sejam entregues a tempo.

“Eu notei uma diferença de ontem para hoje. Acredito que na sexta-feira as coisas estejam em uma condição, se não ideal, pelo menos capaz de acomodar todos os membros de nossa delegação.”

(Por Adriana Garcia)