28 de Julho de 2016 / às 23:02 / em um ano

Vila dos Atletas vive clima olímpico após avalanche de reclamações

Presidente do COI, Thomas Bach, cumprimenta atletas na Vila Olímpica 28/7/2016 REUTERS/Ivan Alvarado

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Ponto focal de críticas às vésperas dos Jogos Rio 2016, a Vila dos Atletas finalmente viveu nesta quinta-feira um dia de ambiente olímpico, com a conclusão das obras de reparos nos apartamentos, elogios de atletas e o fim de um turbilhão de problemas que marcou a chegada dos primeiros competidores.

Os últimos três dos 31 edifícios construídos a poucos minutos de distância do Parque Olímpico tiveram os reparos concluídos por operários contratos de emergência, e a Vila recebeu a visita do presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, que almoçou com atletas e ocupou um dos quartos.

“Está tudo pronto”, disse a jornalistas no final da tarde o diretor-executivo de operações do Rio 2016, Rodrigo Tostes, que coordenou o trabalho de reparo nos edifícios da Vila.

“A gente teve aquele pequeno problema no início, e agora está entregando a Vila conforme a gente se comprometeu. Todos os atletas estão contentes, as delegações estão contentes”, acrescentou.

Saíram os trabalhadores, que se revezaram 24 horas por dia desde domingo para concluir as obras de conserto, e chegaram atletas. Mais de 1.100 de 151 países estarão hospedados até o fim desta quinta-feira na Vila, onde os competidores andaram de bicicleta, fizeram compras e trocaram pins olímpicos, em um clima bem mais ameno do que nos primeiros dias.

DANOS INTENCIONAIS

Inaugurada no fim de semana para receber os cerca de 11 mil atletas da primeira Olimpíada da América do Sul, a Vila se transformou na primeira grande polêmica dos Jogos quando a delegação da Austrália se recusou a ingressar no local devido a problemas como banheiros entupidos, vazamentos e sujeira.

Outros países, como Argentina e Suécia, também precisaram recorrer a hotéis para suas delegações devido ao mau estado dos apartamentos, enquanto os organizadores dos Jogos e a Prefeitura do Rio criaram uma força-tarefa de última hora com mais de 600 operários para tentar resolver a questão.

Fontes da organização do evento disseram que os problemas nos apartamentos foram provocados, ao menos em parte, por funcionários da própria obra que estavam insatisfeitos com as construtoras responsáveis devido às condições de trabalho.

Houve relatos de vasos sanitários entupidos intencionalmente com pedaços de concreto, e até mesmo de paredes de banheiro sujas com fezes, segundo funcionários da organização que pediram anonimato. Também foram relatados furtos, que, no entanto, não foram confirmados oficialmente pelo comitê.

“A gente não tem como provar nada disso”, disse Tostes.

Além de ter de lidar com a manutenção, os organizadores dos Jogos foram surpreendidos na quarta-feira com uma inspeção de fiscais do trabalho que verificaram irregularidades nas condições do local, como a ausência de registro em carteira e jornadas de trabalho de até 23 horas.

Nesta quinta, no entanto, não houve notícias negativas. Em vez disso, a organização foi elogiada pela rapidez com que resolveu a situação.

“A vila está linda e o melhor é o ambiente olímpico que estamos vivendo”, disse o boxeador egípcio Mahmoud Abdelaal, que saiu à tarde de seu quarto para fazer compras na loja de produtos oficiais da Rio 2016 dentro da Vila.

“Tivemos problemas, como quase todo mundo, com a água quente e com vasos entupidos e sujeira, mas nós avisamos e resolveram logo. Agora está tudo ótimo”, acrescentou.

Membros das delegações da França, Holanda, Alemanha, Azerbaijão, Canadá e Áustria também confirmaram que os problemas enfrentados nos primeiros dias foram resolvidos e também fizeram elogios à estrutura da Vila e ao clima vivido no local.

“A Vila não precisa ser um hotel de 5 estrelas, o mais importante é termos todas as condições que nos deram e podermos viver esse espírito da Olimpíada. Estamos muito satisfeitos com o que foi feito”, disse o chefe da equipe de natação austríaca, Marco Wolf.

A Austrália, cujo prédio foi apontado pelo prefeito do Rio, Eduardo Paes, como o que estava em pior situação, voltou à Vila na quarta-feira, em cerimônia com direito a pedido de desculpas do prefeito, que recebeu um canguru de presente por parte dos australianos.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below