Japão pretende se recuperar de fiasco do judô em Londres na Rio 2016

sexta-feira, 29 de julho de 2016 18:36 BRT
 

Por Chris Gallagher

TÓQUIO (Reuters) - O Japão parece pronto para dar a volta por cima no judô na Olimpíada do Rio de Janeiro de 2016 em reação à humilhação que sofreu quatro anos atrás em Londres, mas enfrenta um desafio duro em função da grande quantidade de talentos de todo o mundo no evento.Os japoneses só levaram um ouro para casa em 2012 e os homens não conseguiram nenhum pela primeira vez desde a estreia do judô olímpico em 1964, um constrangimento para o berço da arte marcial.Mas a equipe japonesa, que pode se vangloriar de seis campeonatos mundiais recentes, lutou para recuperar o ímpeto antes da Olimpíada de Tóquio de 2020 e mostrou um desempenho forte em torneios internacionais.O Comitê Olímpico Japonês estabeleceu a meta de 14 ouros e 30 medalhas no total no Rio, e seus judocas estão sofrendo uma pressão grande para fazer sua parte.As mulheres irão se deparar com uma competição acirrada diante de países como a França e o anfitrião Brasil, e Kaori Matsumoto, a vencedora do único ouro do Japão em Londres, precisará dar tudo de si na categoria dos 57 quilos.A categoria dos 81 quilos também está cotada como uma das mais disputadas, e já se antecipa um confronto entre Avtandili Tchrikishvili, lutador da Geórgia que lidera o ranking, e o japonês e número dois do mundo Takanori Nagase.Kayla Harrison, a primeira norte-americana a conquista um ouro no judô olímpico, terá trabalho para defender seu título na categoria dos 78 quilos contra a brasileira Mayra Aguiar e a francesa Audrey Tcheumeo, ambas ganhadoras de um bronze em 2012.E ainda há o francês Teddy Riner na categoria dos 100 quilos. O peso-pesado de 2,04 metros de altura não perde desde 2010, usando seu tamanho e sua ótima condição física para derrubar todos em seu caminho para a conquista de oito títulos mundiais e um ouro em Londres.Segundo do ranking, Hisayoshi Harasawa ainda não lutou com Riner, e a Rio 2016 cria a perspectiva sedutora de um confronto entre os dois judocas.Mas será a primeira ocasião em que o japonês irá enfrentar a pressão de um tatami olímpico, o que dá a vantagem a Riner.

 
Hisayoshi Harasawa durante evento em Paris. 7/2/2016. REUTERS/Charles Platiau