Torneio olímpico de boxe inicia nova era com antiga polêmica

sexta-feira, 29 de julho de 2016 18:44 BRT
 

Por Alan Baldwin

LONDRES (Reuters) - Os boxeadores profissionais vão se unir aos amadores no ringue pela primeira vez na história das Olimpíadas no Rio de Janeiro no mês que vem, mas quem estiver esperando por grandes astros do esporte irá se decepcionar, mesmo tendo Muhammad Ali na competição.

O Ali em questão é um amador peso-mosca britânico de 20 anos que espera se destacar por outras razões além de ser homônimo de um campeão.    Os profissionais, cuja presença na Rio 2016 põe fim a 112 anos de exclusividade dos amadores, mas preserva a longa tradição de polêmica do esporte, terão mais dificuldade para se fazer notar.    Apesar de todas as manchetes e da comoção, só três profissionais na acepção da palavra se classificaram entre os 250 homens, e nenhum corre o risco de ser detido por caçadores de autógrafos nos cassinos de Las Vegas ou nas ruas de Nova York.    Eles são o italiano Carmine Tommasone, o camaronês e ex-campeão interino de peso-médio da Organização Mundial de Boxe (WBO, na sigla em inglês) Hassan N'Dam N'jikam e o tailandês e ex-campeão peso-mosca da Federação Internacional de Boxe (IBF, na sigla em inglês) de 36 anos Amnat Ruenroeng.    Outras mudanças são mais evidentes: nada de proteção de cabeça para os homens pela primeira vez desde 1980, o que pode resultar em mais lutas interrompidas por cortes, e um novo sistema de contagem de 10 pontos de estilo profissional.    As mulheres, que estrearam na Olimpíada de 2012 em Londres, continuarão usando a proteção e devem ter mais destaque.    Todas as três campeãs –a norte-americana Claressa Shields, a britânica Nicola Adams e a irlandesa Katie Taylor– estão de volta para defender seus títulos contra 36 adversárias.

Cuba, que não permite que suas mulheres pugilistas participem de competições, terá 10 homens participando.    Robeisy Ramírez, campeão de peso-mosca de 2012, foi o último deles a se classificar depois de mudar para a categoria de peso-galo.    O tricampeão mundial Lázaro Álvarez, medalhista de bronze em 2012, será outro competidor de destaque na divisão de peso-leve.

 
Venezuelano Martínez enfrenta Dusmatov, do Uzbequistão, em evento-teste no Rio.  4/12/2015. REUTERS/Ricardo Moraes