Dono de cinco medalhas olímpicas, Scheidt busca pódio em casa

sexta-feira, 29 de julho de 2016 21:16 BRT
 

Por Jeb Blount

RIO DE JANEIRO, (Reuters) - Robert Scheidt, um dos três velejadores olímpicos com cinco medalhas, duas delas de ouro, acredita que tem uma boa chance de ganhar a sexta nos Jogos do Rio de Janeiro.

E se for uma medalha de ouro, melhor ainda.

Ele não vai alcançar as quatro medalhas de ouro olímpicas conquistadas pelo ex-rival britânico Ben Ainslie, agora na America's Cup.

No entanto, vai ultrapassar o número de medalhas de Ainslie e do também brasileiro Torben Grael, medalhista pelas classes Star e Soling e agora coordenador técnico da equipe brasileira.

Uma sexta medalha em seis Jogos Olímpicos, de ouro ou não, seria uma boa maneira de Scheidt, 43 anos, encerrar sua carreira olímpica.

Vencendo ou não, ele já é o maior atleta olímpico do Brasil, com os dois ouros, duas pratas e um bronze, que superam os dois ouros, uma prata e dois bronzes de Torben. O recorde individual de Scheidt provavelmente vai durar por algum tempo.

"Se eu for consistente e evitar erros, estou confiante de que tenho chance", afirmou Scheidt a repórteres nesta semana em um evento da equipe de vela brasileira no Rio.

"Mas a Laser é uma das classes em que os atletas são mais agressivos", acrescentou. "As pessoas estão bem preparadas fisicamente e os estrangeiros vêm aqui para se preparar e conhecer os trajetos."

 
Robert Scheidt durante treino no Rio de Janeiro.  22/6/2016. REUTERS/Sergio Moraes