EUA buscam conquistar os dois ouros do basquete na Rio 2016

segunda-feira, 1 de agosto de 2016 18:01 BRT
 

Por Frank Pingue

TORONTO (Reuters) - A equipe masculina de basquete dos Estados Unidos estará sem muitas estrelas na Rio 2016, principalmente por preocupações com lesões, mas o nível de talento do país é tão grande que deve conquistar o terceiro ouro consecutivo.

A extensa lista de atletas norte-americanos que optaram por não disputar os Jogos Olímpicos, que vão de 5 a 21 de agosto, possui titãs como LeBron James, Stephen Curry e Russell Westbrook.

Embora a equipe masculina não se compare com o famoso "Dream Team" dos Jogos de 1992, que incluía 11 futuros membros do Hall da Fama, o time possui todo o necessário para alcançar o topo do pódio novamente sem muitos desafios.

A equipe de 12 homens foi definida e os Estados Unidos, liderados pelos campeões olímpicos Kevin Durant e Carmelo Anthony, estão no Grupo A, ao lado de França, Venezuela, Sérvia, China e Austrália.

A Espanha, vice nos dois últimos Jogos, deve dominar o Grupo B e talvez represente o maior desafio para os EUA.

A equipe espanhola não mostra uma forma tão dominante, já que Paul Gasol, de 36 anos, teve uma queda em seu rendimento e seu irmão mais novo, Marc, de 31 anos, não conseguiu se recuperar a tempo da Rio 2016, após quebrar o pé.

Isto pode abrir espaço para Croácia e Lituânia no Grupo B, onde também está o Brasil.

Na competição feminina, a equipe norte-americana busca o sexto título consecutivo.

Desde o bronze nos Jogos de Barcelona, em 1992, as norte-americanas entraram em uma sequência de 41 vitórias e possuem o maior recorde de medalhas de ouro seguidas em qualquer esporte olímpico feminino.

Os Estados Unidos ganharam sete de 10 medalhas olímpicas no basquete feminino na história das Olimpíadas - as outras três foram conquistadas pela União Soviética.