Confiante, handebol feminino do Brasil só mira o ouro no Rio, diz atleta

terça-feira, 2 de agosto de 2016 09:18 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Após surpreender no Mundial de 2013 com o título sobre a Sérvia e decepcionar ano passado nas oitavas de final diante da Romênia, o time de handebol feminino do Brasil só aceita a medalha de ouro em casa para se firmar no grupo de potências do esporte, de acordo com a pivô Tamires Morena.

A jogadora demonstrou extrema confiança no sucesso da equipe na Olimpíada do Rio de Janeiro e acredita que as adversárias vão tremer diante da torcida.

“A gente já mata elas (as rivais) quando pisa na quadra, canta o hino nacional. Elas já sentem a pressão e ficam de cabeça baixa“, disse ela em entrevista à Reuters.

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) estabeleceu como meta para o país nos Jogos do Rio ficar entre os dez primeiros colocados em número de pódios. Com a maior delegação da história, 465 atletas, o Brasil espera melhorar sua colocação olímpica disputando o evento pela primeira vez em casa.

“Pelo handebol você pode ter certeza que o Brasil vai estar lá (no alto do pódio). O que importa é o ouro, que é o mais importante. Não vem com essa que qualquer medalha serve. É ouro”, declarou Tamires, que é militar da Aeronáutica.

O Brasil está no grupo A dos Jogos junto com Romênia, algoz do time no Mundial de 2015, as fortes seleções da Noruega e da Espanha, além de Montenegro e Angola. O grupo B da Olimpíada tem Holanda, França, Rússia, Coreia do Sul, Suécia e Argentina.

“Já sabemos como nos defender e o que fazer contra a Romênia que nos eliminou no ano passado. A estreia é pesada com a Noruega e será uma briga de gigantes”, avaliou a brasileira.

“Não tem jogo mais ou menos. Vamos ganhar logo da Noruega, que é campeã olímpica e mundial e mostrar que estamos aqui.”

Se a seleção brasileira vai se sentir em casa, Tamires mais ainda. Ela é a única atleta carioca da seleção convocada para os Jogos do Rio. “Isso me dá mais força, mais garra, mais coragem. Sou positiva e vou canalizar minhas energias para vencer”, disse.   Continuação...

 
Jogadoras da seleção feminina de handebol após partida nos Jogos de Londres, em 2012.     03/08/2012              REUTERS/Marko Djurica