Esperança de pódio, Fabiana Murer diz ter hérnia de disco mas promete competir no Rio

quarta-feira, 3 de agosto de 2016 10:06 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A saltadora brasileira Fabiana Murer, maior esperança de medalha do país no atletismo nos Jogos Rio 2016, revelou que foi diagnosticada no final de julho com hérnia de disco cervical, mas disse que está treinando "muito bem" e que não irá desistir da Olimpíada.

Fabiana explicou, em publicação no Facebook na terça-feira, que após competição em Mônaco, em 15 de julho, passou a sentir dores no pescoço, o que diminuiu sua confiança para uma prova em Londres uma semana depois. Ao voltar ao Brasil, recebeu o diagnóstico.

"Fiz uma ressonância magnética e levei um susto com o resultado. Hérnia de disco cervical, que explicava todos os meus sintomas", disse a atleta na publicação.

"Estou em um trabalho intenso de fisioterapia (duas vezes por dia), e treinando muito bem. Já fiz até um treino de salto completo. Estou evoluindo rapidamente e estou me dedicando ao máximo para chegar 100 por cento na Olimpíada", acrescentou.

Campeã mundial do salto com vara em 2011 e vice em 2015, além de ser a recordista sul-americana, Fabiana carrega há bastante tempo o sonho de conquistar uma medalha olímpica, mas passou por dificuldades tanto nos Jogos de Pequim 2008 como Londres 2012 que a impediram de repetir seus melhores resultados.

Na China, a brasileira terminou em 10o depois que uma de suas varas sumiu durante a final, enquanto em Londres reclamou dos ventos fortes e não passou sequer das eliminatórias.

A preparação para os Jogos do Rio foi marcada pelo melhor salto da carreira da atleta, que alcançou a marca de 4,87 metros no Troféu Brasil, em julho. A marca é a segunda melhor do mundo no ano, atrás apenas da norte-americana Sandi Morris, que saltou 4,93m.

(Por Caio Saad e Pedro Fonseca)

 
Fabiana Murer disputa campeonato em Portland, nos EUA. 17/3/2016. REUTERS/Mike Blake