Greve da polícia civil modifica segurança de delegações olímpicas em Brasília

quinta-feira, 4 de agosto de 2016 12:09 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Uma paralisação de policiais civis do Distrito Federal por 48 horas a partir desta quinta-feira alterou a segurança de delegações envolvidas nos Jogos Olímpicos em Brasília, incluindo a seleção brasileira de futebol masculino, que joga na cidade nesta tarde.

Segundo a assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, os policiais civis serão substituídos por homens do Batalhão de Operações Especiais, e a segurança das equipes está garantida.

"Os policiais que estavam escalados (para a segurança das delegações) foram substituídos. Já estava prevista no protocolo essa equipe de reserva", declarou um porta-voz da secretaria à Reuters, por telefone.

O Brasil enfrenta a África do Sul às 16h no Estádio Mané Garrincha, em Brasília. Mais cedo, Iraque e Dinamarca se enfrentam no mesmo estádio. A competição de futebol dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro começa antes da cerimônia de abertura do evento, na sexta-feira, e é disputada em seis cidades do país, incluindo o Rio.

Em nota, a Direção-Geral da Polícia Civil do Distrito Federal disse que respeita a deliberação dos sindicatos sobre a paralisação e que "adotará as providências para garantir o funcionamento dos serviços essenciais".

A reivindicação dos policiais civis é de reajuste salarial, entre outras demandas.

A segurança é uma das maiores preocupações das autoridades para a Olimpíada no Brasil, a primeira realizada na América do Sul.

(Por Tatiana Ramil)

 
Seleção masculina durante treino no Estádio Serra Dourada, em Goiânia.   29/07/2016           REUTERS/Ueslei Marcelino