President do COI espera que caos na preparação dos Jogos seja evento isolado

quinta-feira, 4 de agosto de 2016 16:36 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - As problemáticas preparações para a Olimpíada do Rio provaram que o modelo dos Jogos pode suportar os mais difíceis desafios, mas o Comitê Olímpico Internacional (COI) espera que não tenha que enfrentar um teste tão estressante novamente, disse o presidente do Comitê, Thomas Bach, nesta quinta-feira.

Falando na véspera da cerimônia de abertura, Bach disse que os organizadores e o CoI têm enfrentado e sobrevivido à recessão econômica e crise política no Brasil.

"Se esse modelo financeiro dos Jogos Olímpicos supera um teste de estresse como este no Brasil, então você pode ver que este modelo é mais do que robusto", disse Bach a repórteres.

"Estes tempos não foram sempre fáceis, nem mesmo agora. Portanto, eu acho que podemos dizer muito claramente que o modelo financeiro dos Jogos realmente aguentou um teste estressante, o qual eu espero que nós não tenhamos que suportar novamente no futuro."

Quando o Rio foi indicado para os Jogos em 2009, o país estava aproveitando um boom financeiro com crescimento anual de quase dois dígitos. Apenas alguns anos depois, os organizadores ficaram sem dinheiro e o Estado do Rio de Janeiro sofreu uma catástrofe financeira, com o país enfrentando a pior recessão desde os anos 1930.

O COI, então, teve que pagar adiantada parte de sua contribuição financeira aos organizadores, para que pudessem completar os preparativos, que estavam perigosamente atrasados.

(Por Karolos Grohmann)

 
Presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach. 31/07/2016. REUTERS/Chris Helgren FOR EDITORIAL USE ONLY. NOT FOR SALE FOR MARKETING OR ADVERTISING CAMPAIGNS.