Pelé obtém liberação médica para acender pira, mas dores impedem confirmação

quinta-feira, 4 de agosto de 2016 23:00 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Pelé obteve liberação médica para acender a pira olímpica na cerimônia de abertura dos Jogos do Rio, mas a confirmação da presença do tricampeão mundial no evento depende das dores que prejudicam sua mobilidade, informou a assessoria do ex-jogador nesta quinta-feira.

"Depende da situação das dores musculares que prejudicam sua mobilidade", disse a assessoria à Reuters.

Pelé afirmou na terça-feira que foi consultado sobre acender a pira olímpica na abertura da Rio 2016 no Maracanã, na sexta, porém teria que consultar a empresa norte-americana que detém os direitos de sua marca sobre o assunto.

O contrato com a empresa não seria um impeditivo à participação no evento, mas o tricampeão do mundo com a seleção brasileira ainda se recupera de uma cirurgia realizada no quadril no fim do ano passado, em Nova York.

Pelé, de 75 anos, está andando com a ajuda de uma bengala e participou do revezamento da tocha olímpica na sacada do Museu Pelé, em Santos.

Eleito atleta do Século 20, Pelé nunca disputou uma Olimpíada porque em sua época jogadores profissionais de futebol não podiam disputar a competição. O ex-jogador costuma brincar que o Brasil nunca conquistou uma medalha de ouro olímpica no futebol porque ele não jogou.

Na semana passada, fontes disseram à Reuters que, além de Pelé, o ex-velejador Torben Grael e o ex-tenista Gustavo Kuerten também estavam entre os cotados para acender a pira olímpica durante a cerimônia de abertura dos Jogos no Maracanã, estádio em que Pelé marcou seu milésimo gol.

(Por Tatiana Ramil)