Primeiro brasileiro a armar pista de hipismo em Olimpíada promete percurso desafiador no Rio

sexta-feira, 5 de agosto de 2016 12:56 BRT
 

Por Tatiana Ramil

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Com a responsabilidade de ser o primeiro brasileiro a desenhar a pista para a competição de saltos do hipismo em Jogos Olímpicos, Guilherme Jorge garantiu que o percurso do Rio de Janeiro será desafiador e irá testar todas as habilidades de cavalos e cavaleiros.

O armador de percurso relevou ainda, em entrevista à Reuters, que os obstáculos da pista farão referência ao Rio e a outros locais do Brasil.

“A ideia é testar todas as áreas possíveis dentro dos padrões do esporte para que o campeão olímpico realmente seja o melhor naquela semana”, disse Jorge, que vai armar cinco percursos no Complexo de Deodoro, onde serão realizadas as provas de hipismo.

Ele explicou que a pista vai testar todos os conceitos da equitação, como a qualidade e força do cavalo, o cuidado do cavalo ao saltar, a habilidade do cavaleiro de interpretar e analisar os obstáculos, como ele vai transmitir isso para o cavalo, e a afinidade entre cavalo e cavaleiro.

“O nível técnico dos cavaleiros está muito alto, então os percursos vão ter também na Olimpíada um nível bastante alto”, afirmou.

Segundo Jorge, os percursos serão ajustados durante a competição de acordo com o desempenho dos cavaleiros.

“Se eles estiverem saltando muito bem, a gente dificulta mais. Se, por alguma razão, eles não saltarem tão bem, a gente não precisa dificultar tanto, dentro de um padrão mínimo exigido pelo regulamento da FEI (Federação Equestre Internacional)”, explicou.

Os obstáculos desenhados pelo armador de percurso, que saltou até os 17 anos, terão o país como tema. “Os obstáculos são temáticos, alusivos à cultura do Rio e algumas outras partes do Brasil. Tem monumentos, tem parte da história”, disse.   Continuação...