Paes conversa com Temer sobre preparativos finais e problemas da Rio 2016

sexta-feira, 5 de agosto de 2016 15:30 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, passeou pela cidade e conversou por telefone com o presidente interino Michel Temer sobre os últimos preparativos e problemas na organização da Olimpíada nesta sexta-feira, dia da aguardada cerimônia de abertura no Maracanã.

Paes participou logo cedo da passagem da tocha pelo Cristo Redentor e depois seguiu para o centro revitalizado da cidade, onde ficará acessa a pira dos Jogos Rio 2016. Na nova Praça Mauá, o prefeito chegou a se emocionar com um mensagem gravada de um discurso do papa Francisco em alusão ao Jogos do Rio, que foi exibida em um telão.

O prefeito recebeu um telefonema do presidente interino Michel Temer e na conversa falou dos últimos preparativos e problemas da cidade.

Na conversa, segundo uma fonte ligada ao prefeito, Paes falou sobre os problemas financeiros enfrentados pelo Comitê Rio 2016, das cobranças do COI sobre as dificuldades no acesso ao Parque Olímpico da Barra, dos problemas no serviço de revista de bolas e raio X nas arenas e das críticas feitas à Vila dos Atletas.

Ao ser questionado pela Reuters sobre o teor da conversa, Paes disse: “Ele me ligou para perguntar se estava tudo bem e eu disse que estava tudo tranquilo.”

Na última hora, o Comitê Rio 2016 conseguiu um socorro financeiro dos governos federal e municipal de 270 milhões de reais para fechar as contas das cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos, de acordo com o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha.

Os recursos seriam usados para fechar as contas do comitê organizador, que carregam um déficit que até o mês passado era de cerca de 500 milhões de reais, de acordo com uma fonte da organização.

O Comitê Rio 2016 informou à Reuters que os novos recursos estão disponíveis, mas a decisão de como utilizá-los está sendo analisada. Segundo o comitê, a utilização da verba não é “tão simples quanto parece”.

Separadamente, a Justiça Federal do Rio de Janeiro acatou um pedido do Ministério Público Federal para que seja dada transparência aos gastos e receitas do Comitê Rio 2016.

“Aqui se busca a transparência da organização desse evento de alto interesse público, com vultosos recursos federais, para o devido controle social, em tempos de cultura da informação”, disse o procurador do grupo de trabalho da Olimpíada de 2016, Leandro Mitidieri.

 
Cardeal-arcebispo do Rio, dom Orani Tempesta, segura chama olímpica ao lado de ex-jogadora de vôlei  Isabel Barroso e prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, no Cristo Redentor
05/08/2016 REUTERS/Pilar Olivares