7 de Agosto de 2016 / às 22:42 / em um ano

Após dois dias sem medalha, judô brasileiro fica mais distante de meta na Rio 2016

Érika Miranda em luta contra japonesa Nakamura. 07/08/2016. REUTERS/Adrees Latif

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Três grandes apostas do judô brasileiro não conseguiram medalha depois de dois dias de competição nos Jogos Rio 2016, e a meta da modalidade de superar as quatro medalhas conquistadas em Londres 2012 ficou mais distante.

Érika Miranda foi a que chegou mais perto de subir ao pódio, porém foi derrotada na disputa da medalha de bronze neste domingo para a japonesa Misato Nakamura, no golden score.

Segundo o gestor de alto rendimento da Confederação Brasileira de Judô (CBJ), Ney Wilson, as derrotas iniciais não causam pressão maior aos 10 atletas que ainda vão competir, embora tenha admitido que a expectativa era alta nesses primeiros dois dias.

“A gente blindou isso (pressão). Ontem seria um dia muito bom, hoje a gente tinha uma possibilidade muito boa com a Érika. Não se descartava também o Chibana passar pelo japonês”, disse Wilson a jornalistas.

Na manhã deste domingo, Charles Chibana foi eliminado logo na primeira luta, ao perder para o japonês Masashi Ebinuma, tricampeão mundial.

No primeiro dia de disputas, no sábado, a campeã de Londres 2012 Sarah Menezes e o medalhista de bronze Felipe Kitadai perderam na repescagem, a uma luta da disputa pelo bronze.

O judô brasileiro tem 19 medalhas olímpicas no total -- em Londres 2012 foram quatro, uma ouro e três de bronze. Para superar esse resultado, meta estabelecida pela CBJ, é preciso um desempenho melhor.

“A gente tem ainda cinco dias pela frente, as possibilidades continuam para a gente melhorar nosso resultado”, disse Wilson.

Questionado sobre a nota que daria pela atuação até agora,

ele respondeu: “nota boa no caso de alto rendimento são medalhas. Chegamos em uma disputa de medalhas, eu diria que nota 5, 6, e vamos brigar para reverter esse quadro nos próximos dias”.

NO DETALHE

O dirigente considera que Érika perdeu “no detalhe” para a japonesa e lamentou principalmente a derrota para a chinesa Ma Yingnan, nas quartas de final, em que a brasileira estava vencendo, mas tentou uma entrada e acabou levando o contra-golpe no final.

“Foi talvez uma ansiedade, se precipitou e acabou pagando preço bem alto em uma luta que para nós era uma luta vencida”, afirmou Wilson.

Abalada, Érika chorou muito depois do combate. “Faltou muito pouquinho (para ganhar medalha), não estou conseguindo digerir. Só eu sei o que passei para estar aqui, é muito sacrificante”, disse ela, acrescentando que é difícil prever resultados em Jogos Olímpicos.

“Isso aqui é uma Olimpíada, está todo mundo preparado.”

Para a disputa de segunda-feira, a principal aposta é a carioca Rafaela Silva, campeã mundial no Rio em 2013.

“Ela está muito motivada para começar a competir. Sempre que luta em casa ela luta muito bem. Ela lida muito bem com a torcida, o pessoal gritando faz bem para ela”, disse Wilson.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below