Após dois dias sem medalha, judô brasileiro fica mais distante de meta na Rio 2016

domingo, 7 de agosto de 2016 19:37 BRT
 

Por Tatiana Ramil

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Três grandes apostas do judô brasileiro não conseguiram medalha depois de dois dias de competição nos Jogos Rio 2016, e a meta da modalidade de superar as quatro medalhas conquistadas em Londres 2012 ficou mais distante.

Érika Miranda foi a que chegou mais perto de subir ao pódio, porém foi derrotada na disputa da medalha de bronze neste domingo para a japonesa Misato Nakamura, no golden score.

Segundo o gestor de alto rendimento da Confederação Brasileira de Judô (CBJ), Ney Wilson, as derrotas iniciais não causam pressão maior aos 10 atletas que ainda vão competir, embora tenha admitido que a expectativa era alta nesses primeiros dois dias.

"A gente blindou isso (pressão). Ontem seria um dia muito bom, hoje a gente tinha uma possibilidade muito boa com a Érika. Não se descartava também o Chibana passar pelo japonês", disse Wilson a jornalistas.

Na manhã deste domingo, Charles Chibana foi eliminado logo na primeira luta, ao perder para o japonês Masashi Ebinuma, tricampeão mundial.

No primeiro dia de disputas, no sábado, a campeã de Londres 2012 Sarah Menezes e o medalhista de bronze Felipe Kitadai perderam na repescagem, a uma luta da disputa pelo bronze.

O judô brasileiro tem 19 medalhas olímpicas no total -- em Londres 2012 foram quatro, uma ouro e três de bronze. Para superar esse resultado, meta estabelecida pela CBJ, é preciso um desempenho melhor.

"A gente tem ainda cinco dias pela frente, as possibilidades continuam para a gente melhorar nosso resultado", disse Wilson.   Continuação...

 
Érika Miranda em luta contra japonesa Nakamura.  07/08/2016. REUTERS/Adrees Latif