Cadeiras vazias marcam Olimpíada apesar de 82% de ingressos vendidos

segunda-feira, 8 de agosto de 2016 16:02 BRT
 

Por Karolos Grohmann

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Os organizadores da Olimpíada do Rio de Janeiro têm enfrentado dificuldades para encher os locais de competição, e muitos assentos tem ficado vazios em disputas de várias modalidades, inclusive em provas com a presença de brasileiros e em esportes populares no país.

Os espectadores têm sido especialmente escassos nas sessões matutinas de esportes menos populares, mas também houve muitas cadeiras vazias em jogos de vôlei de praia, na natação e na ginástica artística, embora os organizadores tenham dito que 82 por cento de todos os ingressos foram vendidos.

A sessão noturna de halterofilismo de domingo só encheu metade da arena, e a partida de rúgbi feminino da manhã desta segunda-feira foi prestigiada só por alguns milhares no estádio do bairro de Deodoro, que ficou praticamente vazio.

A competição de caiaque não teve destino muito melhor, e mesmo as provas de ciclismo de estrada dos últimos dois dias só contaram com alguns poucos milhares de fãs ao longo de seu percurso dentro da capital fluminense.

O responsável pelos ingressos da Rio 2016, Donovan Ferreti, disse que muitos dos casos de cadeiras vazias foram vistos em competições com mais de uma sessão. "Temos muitas sessões duplas", disse. "Talvez os espectadores cheguem para a primeira sessão, ou só para a segunda sessão".

Os organizadores tampouco têm tido ajuda da delegação do Brasil, que até agora só conquistou uma medalha, e prata de Felipe Wu no tiro esportivo. A seleção de futebol não foi além de um empate sem gols com o Iraque na noite de domingo, mais uma atuação decepcionante.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) está ansioso para que o Brasil se saia bem nos Jogos para aumentar o interesse no evento esportivo, e com isso aumentar a venda de ingressos.

 
Arena de vôlei de praia com muitas cadeiras vazias em Copacabana. 06/08/2016 REUTERS/Ruben Sprich