Família de velejadores Scheidt se divide entre Brasil e Lituânia na Olimpíada

segunda-feira, 8 de agosto de 2016 20:48 BRT
 

Por Jeb Blount

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Robert e Gintare Scheidt parecem estar em sintonia em tudo nesta Olimpíada, menos nos países que representam.

O marido, Robert, compete pelo Brasil na classe Laser, enquanto a mulher, Gintare, representa a Lituânia na categoria feminina Laser Radial, que conta com o mesmo barco, mas uma vela menor.

Ambos são considerados esperanças de medalha, o que, no caso de Robert, seria um recorde de seis para o Brasil, e cada um representou um papel importante na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, no Maracanã, na sexta-feira.

Robert, que é o maior medalhista olímpico do Brasil com dois ouros, duas pratas e um bronze em cinco Olimpíadas, leu o juramento dos atletas na ocasião.

Gintare carregou a bandeira da Lituânia, algo que Robert já fez para o Brasil no passado.

No primeiro dia de competição nas regatas olímpicas, suas exibições também foram similares, ambos se saindo mal nas primeiras duas regatas nesta segunda-feira, mas venceram a segunda prova do dia.

Robert terminou em 23o na primeira prova, após ter tido o vento bloqueado pelo grupo. Gintare foi ainda pior e foi desqualificada no início da primeira corrida após cruzar a linha de largada antes do início, devido ao tráfego pesado.

Mas ambos ainda podem obter medalhas se evitarem outros erros. Sob as regras da regata, eles podem descartar seus piores resultados antes da regata da medalha.

Robert está em sétimo na classe Laser, com 24 pontos, 18 atrás dos líderes Tonci Stipanovic, da Croácia, e Julio AlsogaraY, da Argentina. Gintare está em 21o.

 
Robert Schedit em regata na Baía de Guanabara. 08/08/2016 REUTERS/Brian Snyder