Melo e Soares vencem dupla de Djokovic e avançam para quartas no tênis da Rio 2016

segunda-feira, 8 de agosto de 2016 22:33 BRT
 

Por Pedro Fonseca

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A dupla do Brasil Marcelo Melo e Bruno Soares derrotou o tenista número um do mundo, Novak Djokovic, e seu compatriota sérvio Nenad Zimonjic por duplo 6-4 na noite desta segunda-feira e avançou para as quartas de final dos Jogos do Rio, numa partida em que a torcida brasileira ficou dividida entre apoiar seus representantes e a admiração pelo ídolo adversário.

Melo e Soares fecharam a partida no terceiro match point, em 1h13min, impondo a segunda derrota em dois dias a Djokjovic, que na véspera foi derrotado pelo argentino Juan Martín Del Potro logo na primeira rodada do torneio de simples, numa das maiores zebras da Olimpíada.

Ao contrário do jogo individual, no entanto, do qual saiu de quadra chorando pela derrota, Djokovic mandou beijos e acenou para o público brasileiro, que desde o início da partida gritou o nome do sérvio mesmo sendo um adversário, sem repetir a corrente de vaias para qualquer adversário do Time Brasil.

A dupla brasileira, terceira cabeça de chave da competição olímpica, enfrentará agora nas quartas de final a equipe da Romênia formada por Florin Mergea e Horia Tecau, em busca de uma vaga na semifinal, o que garantiria ao menos a chance de brigar pela medalha de bronze.

Marcelo Melo e Bruno Soares não costumam jogar juntos no circuito mundial de tênis, mas têm tido bons resultados com outros parceiros nos últimos anos.

Soares foi campeão do Aberto da Austrália neste ano em duplas masculinas e mistas, enquanto Melo já foi número um do mundo nas duplas e campeão de Roland Garros em 2015.

Mais cedo nesta segunda, a outra dupla brasileira na chave masculina se despediu da competição ao ser derrotada pelos italianos Fabio Fognini e Andrea Seppi por 7-5, 5-7 e 3-6, também na segunda rodada.

Os brasileiros não entraram no torneio como favoritos ao pódio, mas estrearem na véspera com uma surpreendente vitória contra os irmãos britânicos Andy e Jamie Murray, cabeças de chave número dois, o que havia dado esperança aos torcedores brasileiros de uma campanha mais duradoura nos Jogos.