Phelps vai tentar ouro em nado borboleta perdido em 2012

terça-feira, 9 de agosto de 2016 10:28 BRT
 

Por Mary Milliken

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Olimpíada do Rio de Janeiro de 2016 pode ser o canto do cisne para Michael Phelps, mas o lendário nadador norte-americano não está dando sinais de que irá sossegar tão cedo.

Na segunda-feira, o atleta de 31 anos provou que está pronto para a revanche nos 200 metros borboleta com Chad le Clos, o sul-africano que o privou de uma terceira medalha de ouro consecutiva na prova quatro anos atrás.

Recordista mundial e olímpico, Phelps liderou durante a maior parte da semifinal de segunda-feira até ser superado nos últimos 25 metros pelo húngaro Tamas Kenderesi, que chegou 0seg16 à sua frente.

Le Clos terminou na quarta colocação, mais de um segundo atrás de Phelps, mas havia competido na final dos 200 metros estilo livre pouco tempo antes e ficado com a prata.

Phelps, o atleta olímpico mais condecorado de todos os tempos, se aposentou depois de 2012, mas voltou ao esporte dois anos mais tarde.

Questionado depois de ter sido fotografado fumando um cachimbo de maconha em 2009, também assumiu ter dirigido alcoolizado em 2014, seu segundo delito em 10 anos.

Mas ele começou com o pé direito na Rio 2016, conquistando seu 19º ouro no revezamento dos 4x100 metros estilo livre na noite de domingo. Phelps disse estar tendo dificuldades com dores e com o intervalo apertado entre a prova de fim de noite e a seletiva do nado borboleta na segunda-feira.

Para lidar com a dor, ele recorreu à ventosaterapia, uma técnica de cura chinesa que deixou seu torso coberto de manchas roxas e que foi muito comentada nas redes sociais. Ele ainda disse acreditar que se sairia bem na segunda-feira depois de um cochilo, e tudo parece ter saído como o planejado.

Le Clos, que derrotou Phelps por 0seg05 em 2012, está adorando a ideia da revanche no Rio.

 
Michael Phelps durante competição dos 200 metros borboleta na Rio 2016.     08/08/2016     REUTERS/David Gray